Após ameaças, votação da proposta do Diário Eletrônico é adiada

Por 30 de agosto de 2021

Presidente da Câmara, Luis Paixão, solicitou apoio armado da Brigada Militar para votação da proposta, na próxima semana / Foto: Milos Silveira

 

A Proposta de Emenda à Lei Orgânica Municipal (Pelom) que prevê a instituição do Diário Oficial Eletrônico na Prefeitura de Cachoeira do Sul foi retirada da pauta da sessão ordinária desta segunda-feira (30) da Câmara de Vereadores. A decisão do presidente Luis Paixão (PP) foi tomada após ameaças sofridas pela vereadora Daniela Santos (PDT) durante o final de semana. A votação da Pelom ficou agendada para a sessão ordinária da próxima segunda-feira (6).

Daniela abriu seu voto pela rejeição da Pelom e pela continuidade da publicação dos atos oficiais da Prefeitura de Cachoeira do Sul em mídia impressa. Durante o final de semana, segundo Daniela e seu irmão, o deputado federal Marlon Santos (PDT/RS), um indivíduo identificado apenas pelo nome de Diego teria ido de moto à frente da residência da parlamentar, no Bairro Universitário, para acusá-la aos gritos de ter sido “comprada” para rejeitar a proposta “em troca de cargos”.

Temendo pela segurança de Daniela e dos demais vereadores, o presidente Paixão solicitou ainda apoio armado da Brigada Militar na sessão da próxima semana, quando a Pelom entrará na ordem do dia. Como as sessões são abertas à presença do público, desde que com obediência aos protocolos de distanciamento para prevenção da covid-19, a Presidência solicita ainda que a BM atue com detector de metal na entrada do público ao Palácio Legislativo João Neves da Fontoura.

 

Leia mais (links relacionados): 

Diário Oficial eletrônico: confira como foi a votação que rejeitou o relatório

“Interesses ocultos” pressionam vereadores, denuncia Magaiver

Diário de graça em Cachoeira ganha força com decisões judiciais

De graça: Diário Oficial Eletrônico é legal, diz Tribunal de Justiça Gaúcha