20.2 C
Cachoeira do Sul
terça-feira, 1 dezembro, 2020 - 07:59
Cachoeira do Sul e Região em tempo real

GG de ponta-cabeça: os números que julgaram seu mandato

Crédito: OC/Reprodução

O domingo (15) de eleições municipais marcou a derrota do atual prefeito que buscava sua reeleição para mais quatro anos de gestão no comando da Prefeitura de Cachoeira do Sul. No entanto, por vontade do eleitor cachoeirense, a trajetória na cadeira de chefe do Executivo Municipal é interrompida com um desempenho de 8.513 votos a menos do que o total que obteve no pleito de 2016. Para ter uma ideia da queda de retrospecto, a diferença é maior do que a votação feita, por exemplo, pelo Leandro Balardin (8.345 votos). Mesmo que somasse os votos obtidos pelo seu adversário na época e que acabou virando seu parceiro de chapa, Oscar Sartório, ainda assim, Ghignatti seria perdedor.

A desaprovação do eleitorado ainda atingiu o deputado federal Marlon Santos, que não conseguiu reverter o cenário, apesar de seu apoio em vídeos nas redes sociais, campanha e até mesmo caminhando com o candidato pelas ruas da cidade.

Até mesmo seus aliados que concorreram para vereador acabaram sentindo o peso da avaliação negativa da população sobre os quatro anos de gestão do ainda prefeito. Daniela Santos, por exemplo, saiu do governo municipal com críticas escancaradas pela expressão “ninho de cobras” que utilizou no seu discurso ao retornar para a Câmara. Em 2016, fez 1.377 votos. Foi a candidata mais votada. Neste domingo (15), obteve 783.

Outro aliado, Pedro Jarrão, ficou de fora. Amargou a queda de seus 1.092 votos em 2016 para 677. Paulão Trevisan, que foi presidente da Câmara de Vereadores em 2017, caiu de 1.116 votos para 625.

Confira o desempenho dos candidatos a vereador em comparação aos votos obtidos em 2016:

Daniela Santos: 1.377 (2016) / 783 (2020) – eleita

Valdocir Marques: 1.296 (2016) / 503 (2020) – não eleito

Marcelo Martins: 1.135 (2016) / 686 (2020) – eleito

Paulão Trevisan: 1.116 (2016) / 625 (2020) – não eleito

Jeremias Madeira: 1.094 (2016) / 798 (2020) – eleito

Pedro Jarrão: 1.092 (2016) / 677 (2020) – não eleito

Ronaldo Trojahn: 1.082 (2016) / 725 (2020) – eleito

Noeli Castelo: 1.048 (2016) / 166 (2020) – não eleito

Itamar Luz: 993 (2016) / 556 (2020) – eleito

Carlos Alberto: 924 (2016) / 337 (2020) – não eleito

Igor Noronha: 913 (2016) / 625 (2020) – não eleito

Luis Paixão: 808 (2016) / 661 (2020) – eleito

Marcelo Figueiró: 614 (2016) / 910 (2020) – eleito

Nelson Azevedo: 607 (2016) / 571 (2020) – eleito

Felipe Franja: 632 (2016) / 395 (2020) – não eleito

Telda Assis: 579 (2016) / 461 (2020) – eleita

Gilmar Dutra: 549 (2016) / 528 (2020) – não eleito

Jorginho Fialho: 512 (2016) / 269 (2020) – não eleito

 

Portal OCorreio
Portal de notícias de Cachoeira do Sul e Região