FIQUE MAIS LEVE – O que é uma noite feliz?

Por 19 de dezembro de 2020

O tema dessa semana surgiu de uma pergunta feita essa semana e que diz respeito à noite natalina, que possui muitos significados pessoais, e ao mesmo tempo um significado comum para todos os que se consideram cristãos. Mas o que é a felicidade para psicologia e a para filosofia?

Para o filósofo Epicuro, nascido em 341 a.C, na costa da Ásia Ocidental, e a essência de seu pensamento era de que a intuição pura e simples não nos habita a solucionar questões como o que me fara feliz? O que me fará saudável? E atarefa da filosofia consistia em ajudar a interpretar nossas pulsões indefinidas, e de certa forma, evitar planos equivocados para obtenção da felicidade, para isso deveríamos parar de agir por impulso e investigar a racionalidade de nosso desejo e de acordo com um método de questionamento semelhante ao que foi usado por Sócrates para avaliar definições éticas.

O filósofo observou que é improvável que a riqueza sempre traga felicidade. Mas o ponto crucial da tese de Epicuro, é que se temos dinheiro e não temos amigos, liberdade e uma vida baseada na reflexão, jamais seremos verdadeiramente felizes. E, se temos tudo, com exceção do dinheiro, jamais seremos infelizes. E a partir desse pressuposto ele dividiu nossas necessidades em três categorias em relação aos nossos desejos, determinando que existe os desejos naturais e necessários, que são os amigos, a liberdade e a reflexão (sobre as principais fontes de ansiedade como medo, doença, pobreza) casa, comida e roupas. Já a segunda categoria que diz respeito ao que natural, mas desnecessário ele incluiu palacetes, terma privativa, banquetes, empregados e até mesmo o consumo de carne ou peixe. E por fim, sua última categoria inclui o que não é nem natural, nem necessário como a fama e o poder.

Para a Psicologia Positiva que investiga os estados afetivos positivos, como a felicidade, o contentamento, a resiliência, o otimismo, a gratidão e a qualidade de vida, entre outros. O interesse nas pesquisas que visam o aspecto positivo tem crescido nas últimas décadas, mesmo que os fatores que atuam de forma negativa sejam recorrentes com ênfase sobre os aspectos de insatisfação e patologias (Rebolo & Bueno, 2014). O crescente avanço científico das pesquisas em ciências humanas e sociais, a partir da década de 1990, repercutiu no aumento do interesse pelo lado positivo da vida organizacional, com atenção especial nos fenômenos psicossociais positivos como bem-estar, satisfação no trabalho e experiências positivas e afetivas.

Para a Psicologia, a felicidade é uma emoção básica caracterizada por um estado emocional positivo, com sentimento de bem-estar e de prazer, associados à percepção de sucesso e à compreensão coerente e lúcida do mundo. A felicidade é um fenômeno predominantemente subjetivo, estando subordinada mais a traços psicológicos e socioculturais do que a fatores externamente determinados. A identificação desses fatores é particularmente útil na subpopulação que é mais predisposta a doenças mentais, favorecendo o desenvolvimento de abordagens preventivas, com potencial repercussão nas áreas social e ocupacional.

Então, afinal, o que é uma noite feliz? E as respostas podem ser muitas. Mas é preciso pensar sempre o que para nós é essencial, não o que os outros acreditam que é felicidade, deve ser uma escolha sua, afinal ver a felicidade alheia por uma tela pode ser fonte de sofrimento para muitas pessoas que pensam :poxa, essa pessoa tá sempre tão feliz. Como eu não consigo? E talvez o começo da resposta é que felicidade é um ponto de vista nosso. Existe quem diga que uma noite feliz tem que ter peru, ceia, presente, luzes e uma série de itens, mas se não tiver nada disso, você seria feliz?

Vanessa Santos – Psicóloga CRP 07/25298

Contatos:

E-mail: vanessasantospsicologa@gmail.com

Facebook: @maislevepsicoterapiaonline