18.2 C
Cachoeira do Sul
terça-feira, 22 setembro, 2020 - 15:28
Cachoeira do Sul e Região em tempo real

FIQUE MAIS LEVE – Ah! Hoje, não. Amanhã eu faço…

Quantas vezes falamos isso no nosso cotidiano… Ah, agora não, amanhã. Amanhã eu faço… Muitas vezes dizemos isso por falta de tempo mesmo, tão envolvidos que somos pelo trabalho, pela família e por diversos afazeres no nosso cotidiano. Porém, nem sempre deixamos de fazer as coisas por falta de tempo ou de organização do nosso tempo, mas deixamos de fazer simplesmente porque não sentimos mais vontade de fazer algo, porque nos parece não ter mais sentido fazer ou não fazer algo. Neste caso,  precisamos estar atentos para saber a diferença entre ser um procrastinador ou estar sentindo falta de motivação, de desejo, e principalmente de alegria em fazer algo que seria importante para nós.

A procrastinação é definida como um atraso de tarefas e decisões comumente associados com uma negação diante de algo que é desagradável, ou excessivamente desafiador, como elaborar um grande trabalho acadêmico, por exemplo, ou até mesmo conseguir organizar uma rotina que diminua os impactos da procrastinação na vida de quem tem costuma sentir-se assim. Este comportamento envolve componentes cognitivos, emocionais e comportamentais que fornecem ao procrastinador um conforto temporário diante de uma tarefa aversiva.

Existe uma preocupação excessiva das pessoas com a própria capacidade de fazer as coisas corretamente; outras atrasam tarefas porque não querem ter de realizá-las; e também existem as que procrastinam porque não são organizadas e simplesmente não sabem por onde começar.

Mas o que fazer para tentar amenizar os impactos disso? Comece perguntando a si mesmo: Que benefícios terei se adiar essa tarefa? Quais os impactos desse atraso na minha relação com outras pessoas?

Uma vez que você consegue responder com autenticidade essas perguntas, você poderá começar mais um passo para melhorar sua atitude procrastinadora. Em primeiro lugar, faça um esforço e supere a resistência, vá um passo de cada vez, mas vá em direção de alguma coisa! Aqui a palavra é priorizar! Organize um
pouco as coisas, tentando verificar os prazos mais urgentes de serem cumpridos e tente criar um passo a passo de como resolver o problema. Também é preciso gerenciar muito mais as emoções como raiva e  medo, por exemplo, pois elas são grandes responsáveis pelo abandono da sua tarefa, muito mais que a quantidade de tempo que você investe nisso.

Mas se você não consegue fazer nada disso, é preciso estar atento para algo um pouco mais complexo e que também pode estar dificultando a realização das coisas que você quer fazer, e neste caso, o que te impede de fazer é algo chamado tristeza. A tristeza faz parte da natureza humana e pode ser intensificada quando perdemos algo ou alguém que gostamos muito, por exemplo. Mas quando esse sentimento se torna tão grande. mas tão grande que você não consegue ter vontade de fazer as coisas que te davam prazer é hora de procurar ajuda de um profissional que possa te ajudar a ver o colorido das coisas
novamente. E neste caso, procrastinar só vai deixar tudo mais difícil.

Afinal, podemos procrastinar muitas coisas na vida, só não podemos deixar pra depois a nossa felicidade e alegria de viver!

***

Vanessa Santos – Psicóloga CRP 07/25298

Contatos:

E-mail: vanessasantospsicologa@gmail.com

Facebook: @maislevepsicoterapiaonline

Advertisement