23.2 C
Cachoeira do Sul
sábado, 31 outubro, 2020 - 16:04
Cachoeira do Sul e Região em tempo real

Fique Mais Leve – A gratidão é a memória do coração

Eu começo nossa conversa, inspirada no pensamento atribuído ao filósofo grego Antístenes sobre a gratidão, pois é reafirmada por diversos estudos científicos. Mas a inquietação para falar sobre esse tema veio de um post que indicava a hashtag “gratidão” como uma das hashtags mais chatas nas redes sociais. Então, questionei como gratidão pode ser considerada algo tão negativo. Um dos motivos talvez seja a estreita relação atribuída ao místico, ou ligado a espiritualidade ou religiosidade. Entretanto, a gratidão como emoção é algo que vai muito além de apenas um conceito essencialmente ligado ao sagrado. A gratidão pode gerar uma outra qualidade nas relações sociais, quando as pessoas transformam a emoção de ser grato em ações de retribuição para seu benfeitor ou outro beneficiário. Agora, eu peço especial atenção de vocês quanto ao conceito de gratidão: A gratidão é apercepção de um benefício que foi dado intencionalmente por outra pessoa, é feito de forma consciente, e o benfeitor não deseja obter algo em troca naquele momento.

Portanto, não podemos confundir gratidão com trocas de favores, ou com o popular “toma lá dá cá”, até porquê para eu ser grato eu tenho que ter percepção desse benefício e também estar precisando daquele benefício naquele momento. Logo, o beneficiário tem que estar ciente que foi escolha do outro ajudar, entre tantas outras escolhas.

E aqui chegamos em um ponto interessante em que a maioria de vocês já sentiu ou ouvir alguém dizer o quanto alguém foi ingrato, com frases como essa: “eu fiz tudo, e ela nem sequer retribui”. E essa pessoa não vai mesmo retribuir, pois ela não percebe sua atitude como intencional, não acha que é esforço de sua parte, tornando-se inclusive motivo de muitas discussões em relacionamentos. Além disso, a emoção gratidão possui espectros, ela pode provocar uma sensação momentânea de gratidão, pois o beneficiário não retribui o benefício, mas entende que foi beneficiado, e para ser chamado de gratidão eu preciso ter o
desejo de devolver, de retribuir, de entender que aquela pessoa fez aquilo por vontade, não porque era sua obrigação, e passa a ser grato pela escolha que o outro fez em ajudar você.

E é por esse aspecto da retribuição, que gratidão pode gerar um “ciclo virtuoso”, onde boas ações geram novas boas ações, contribuindo para uma sociedade com maior capacidade de empatia.

Além disso. sentir gratidão gera inúmeros benefícios, como felicidade, motivação, as pessoas gratas costumam ser mais simpáticos e dispostas a perdoar a si e aos outros.Estudos na área de psiconeurologia indicam que a gratidão melhora a imunidade, e traz melhora em diversos quadros de sofrimento psíquico.
A gratidão é uma emoção que pode ser cultivada e depende da sensibilidade de entender que o outro não possui a obrigação de estar fazendo aquilo por nós, que é algo doado, tirado do seu melhor, e é por isso que concordo com o filosofo quando digo que a gratidão é a memória do coração porque você tem que saber o que está recebendo e quanto aquilo te beneficiou e tentar retribuir a benfeitoria, até mesmo para outras que não sejam o teu benfeitor.

Gostaria de deixar essa reflexão com vocês: qual o motivo para gratidão ser um hashtag tão rejeitada? Será que sabemos ser gratos de verdade?


***

Vanessa Santos – Psicóloga CRP 07/25298

Contatos:

E-mail: vanessasantospsicologa@gmail.com

Facebook: @maislevepsicoterapiaonline

Advertisement
Portal OCorreio
Portal de notícias de Cachoeira do Sul e Região