11.2 C
Cachoeira do Sul
domingo, 20 junho, 2021 - 03:18
Cachoeira do Sul e Região em tempo real
  • Inicio
  • REGIÃO
  • Falou que facada em Bolsonaro foi “teatro”: vereador culpa “Gabinete do Ódio”

Falou que facada em Bolsonaro foi “teatro”: vereador culpa “Gabinete do Ódio”

O vereador Alberto Heck (PT), de Santa Cruz do Sul, divulgou uma nota oficial, após repercussão de sua fala durante protesto contra o presidente Jair Bolsonaro no fim de semana.

“Começou com o teatro da facada do mito, porque se não fosse um teatro mal ensaiado, por sinal, nós só teríamos que dizer ‘Adélio, seu imbecil por ter errado’. Nós poderíamos estar livres desse mal” – vereador Alberto Heck, PT

Em nota divulgada na noite deste domingo (30), o vereador santa-cruzense garantiu que nunca defendeu o ódio ou desejou a morte de alguém. Heck apontou o que chamou de “Gabinete do Ódio” e que a polêmica em torno de sua fala é resultado de articulação ” adversários políticos”.

A manifestação reverberou nacionalmente, incluindo as redes sociais.

Confira a nota na íntegra:

As famílias de Santa Cruz do Sul me conhecem. Sabem que sou um professor, trabalhador, vereador que atua muito pelo desenvolvimento da nossa cidade e região. Hoje, Santa Cruz, assim como Brasil, vive o mais grave momento de sua história, por isso, não descansarei enquanto todas as pessoas não tiverem vacina no braço, comida no prato e recuperarem seus empregos.

Com esse objetivo participei do ato pela vida no último sábado. É lamentável que adversários políticos, os mesmos que estão ao lado do governo federal que não consegue responder à CPI da Covid do Senado, porque não garantiu a vacina para os brasileiros, tenham recordado parte de meu pronunciamento, somente para me atacar. Fiz uma fala de 5 minutos em defesa da democracia e da vida, e adversários políticos recortam uma frase, para me difamar e ameaçar a mim e minha família.

O gabinete do ódio tem como prática tirar afirmações do contexto para difamar quem defende a vacina, o emprego e o direito à vida digna. Jamais defendi o ódio ou desejei a morte de alguém. Devo um pedido de desculpas aos organizadores do ato público ‘Em defesa da vida’, a meus eleitores e apoiadores, que estão passando por algum constrangimento, e às pessoas da comunidade que defendem a vida.

Os mesmos que usam as redes sociais com artimanhas para manipular meu pronunciamento, agora atacam minha família. Será que não deveriam estar utilizando seu tempo para salvar vidas no Brasil? Já ultrapassamos 457 mil mortos, milhões de pessoas encontram-se com sequelas graves, milhares perderam a vida por outras doenças e pela fome. Todos com direitos à vida. Eu defendo a vida de todos os brasileiros e repudio a manipulação grosseira que visam desviar a atenção do genocídio que ocorre no nosso país. Viva a ciência, viva o SUS, viva a democracia!

Alberto Heck,- vereador de Santa Cruz do Sul

Portal OCorreio
Portal de notícias de Cachoeira do Sul e Região