Vereador sugere “passaporte da Covid” para Câmara e Prefeitura

Por 17 de agosto de 2021

Apesar do avanço da vacinação contra a Covid e a redução dos números da pandemia em Cachoeira do Sul, especialistas da área médicas são taxativos sobre a relevância em seguir com a adoção de protocolos sanitários e processos de prevenção. O alerta motivou o vereador Ronaldo Trojahn, do PSB, a fazer indicações sobre a implantação de exigência válida para atividades da Câmara da Prefeitura.

Segundo a sugestão de Trojahn, a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul e o Executivo Municipal podem estudar a possibilidade da exigência de comprovante da vacinação contra a Covid- 19, cuja imunização já tenha sido contemplada pelo Plano Nacional de Vacinação, do Ministério da Saúde, para atividades presenciais da Casa Legislativa e da Prefeitura.

Nesta terça-feira, a Secretaria Municipal da Saúde organizou mais uma edição do drive thru no pavilhão da Fenarroz com ampliação da faixa etária da imunização para a partir dos 22 anos de idade. O lote utilizado continha 828 vacinas CoronaVac e Pfizer. A remessa ainda reforçou os estoques para primeiras aplicações nas US1/prédio do INSS, US4/Centro Social Urbano e US14/Bairro Marina.

A pasta ainda definiu que a aplicação das segundas doses prosseguisse somente nos postos de saúde conforme o calendário das carteiras de vacina, com o benefício da redução do intervalo de 12 para dez semanas aos pacientes que receberam imunizantes AstraZeneca e Pfizer.