Telda representa contra Faller por quebra de decoro

Por 24 de junho de 2021

A vereadora Telda Assis, do PT, entregou para o presidente da Câmara, Luis Paixão, do PP, um memorando de representação por quebra de decoro parlamentar contra o vereador Felipe Faller, do PSL, no ato contra o presidente Jair Bolsonaro, no sábado. O pedido tem base no Regimento Interno no Capítulo Vll, Artigo 251, Parágrafo 2º, Alínea lll. Referente a prática de irregularidades graves no desempenho do mandato ou de encargos deles decorrentes bem como o Artigo 5º da Constituição Federal.

Segundo justificativa da petista, a manifestação em Cachoeira do Sul foi organizada pelo Grupo de Jovens do Coletivo Nilton Santos. “No decorrer da caminhada, os jovens foram interpelados pelo vereador Felipe Alves Faller que de forma debochada e agressiva fazia perguntas e indagações sobre o motivo do ato, provocando e instigando à violência”, indicou Telda. Ainda de acordo com a vereadora, em “algum momento, apareceu a viatura da Brigada Militar e o vereador se referiu ao sargento pelo nome”, seguiu. Conforme Telda, Faller chamou o policial e completou dizendo “bota quente”.

“O vereador permaneceu no local menosprezando os jovens com palavras pejorativas. Durante todo este tempo, ele expôs os manifestantes, inclusive menores de idade através de um vídeo publicado posteriormente nas redes sociais do próprio vereador. Mesmo tendo ele excluído, o vídeo está salvo servindo como prova destes atos” – Telda Assis, PT

Para fechar o pedido, a vereadora destacou que Faller “vem organizando e participando de manifestações a favor de Bolsonaro e “em nenhum momento foi interpelado por alguém que discorde de sua opinião”.

“Diante dos fatos consideramos que o Vereador, com certeza, agiu de forma incompatível ferindo os princípios da administração pública e afronta a quebra de decoro parlamentar tendo em vista ser um agente público, representante do Poder Legislativo que deveria zelar pela ordem pública respeitando atos democráticos e o direito de expressão. Aguardamos que a Mesa Diretora diante dos fatos tome medidas cabíveis” – Telda Assis, PT

Em anexo ao documento, a vereadora entregou um pen drive com supostas provas.

Confira a representação:

Crédito: Reprodução