Secretário da Agricultura garante ser parceiro dos arrozeiros

Por 21 de abril de 2022

Crédito: Sérgio Pereira

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Velho Lopes, esteve nesta quarta-feira na sede do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), finalizando o seu ciclo de visitas às vinculadas depois de ter assumido a pasta no início deste mês. Como produtor rural de arroz, Lopes afirmou ao presidente do Irga, Rodrigo Machado, e a toda equipe de servidores que buscará construir as soluções que contribuam para o fortalecimento da autarquia com foco especial na pesquisa e na valorização do quadro pessoal.


“Nasci no meio do arroz e vivencio o arroz cem por cento do meu tempo. Conheço muito dos anseios de vocês que são os mesmos que os meus. Vamos trabalhar para colocar o Irga onde ele merece estar” – secretário Domingos Velho Lopes


Durante sua visita, Lopes conheceu a estrutura do Irga, projetos, ações, orçamentos e finanças, apresentados pelo presidente e servidores do quadro. O Irga conta atualmente com 267 profissionais. Eles trabalham em seis centros de pesquisas, 37 escritórios regionais e na sede administrativa, buscando o desenvolvimento sustentável da atividade orizícola, presente hoje em 137 municípios gaúchos.

Na ocasião, foi mencionada a recente decisão do governo do Estado de repassar ao Irga 100% dos valores da Taxa de Cooperação e Defesa da Orizicultura (CDO), o que não acontece há muitos anos. Também foi citada a questão do desligamento de servidores por conta da defasagem dos salários não reajustados nos últimos 10 anos. No momento, tramitam no Estado processos administrativos buscando o realinhamento salarial, além da criação de novas vagas para o quadro pessoal.

Foto 4

Entre as ações que estão sendo desenvolvidas, a diretora técnica do Irga, Flávia Tomita, anunciou que o Instituto irá lançar, neste ano, uma nova cultivar e que questões envolvendo a pesquisa avançaram nos últimos meses. Flávia lembrou que está em fase de negociação, junto à Secretaria da Agricultura, um acordo para cessão de uma área à autarquia em Hulha Negra, zona Sul do Estado. A ideia é que a autarquia implante uma nova estação de pesquisa em parte daquele espaço que foi incorporado pela Seapdr após a extinção da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro). O objetivo é que o Irga possa desenvolver pesquisas também na região da Campanha, já que havia esta lacuna.

Foto 2

Machado lembrou que, graças às pesquisas e ao trabalho de extensão rural do corpo de servidores do Irga, o Rio Grande do Sul consegue ter produto de qualidade no campo. “Nosso maior patrimônio são os servidores, que estão sempre motivados apesar dos salários há dez anos sem reajuste. Eu aprendo todos os dias com o pessoal do Irga o que é ter espírito público. Entre várias ações, estamos tomando medidas para melhorar a governança. Elencamos 25 pontos que, em sua maioria, já estão quase todos solucionados. Já melhoramos a comunicação entre os setores, ampliamos a frota e estamos empenhados em lançar uma nova cultivar em breve. Estamos também com vários planos de investimento na estrutura do instituto. Mas nossa prioridade é a valorização dos nossos servidores já que com a integralidade da CDO agora é possível de ser realizado”, afirmou o presidente.

Além do secretário Lopes, a visita ao Irga contou com a presença da equipe de Gabinete da Seapdr que se colocou à disposição para auxiliar na construção de soluções voltadas ao instituto.