Se não podemos mudar o passado, o presente podemos.

Por 1 de dezembro de 2021

Para vivermos realmente felizes como tanto desejamos desde sempre, é fundamental, primordial, indispensável não mais nos apegarmos ao que possa nos tornar infelizes, senão, estaremos optando justamente pelo contrário da felicidade que buscamos, ou que pensamos estar buscando.

É certo que motivos não faltam para nos infelicitar, mas só conseguirão isso se nós permitirmos, senão, não.

Por exemplo: estar no final de uma fila extensa e vagarosa; esperar alguém que esteja atrasado por uns quinze minutos; não conseguir receber um dinheiro na data prevista; ficar parado no trânsito por mais de meia hora…

Podemos sim nos irritar e esbravejar por essas e outras razões se quisermos, afinal, cada um tem seus motivos, mas a questão fundamental é: no que será que esse tipo de reação vai nos ajudar a resolver os problemas?

Em nada é certo, ao contrário, só irá agravar a situação, pois estaremos sofrendo nesses momentos, e o que é pior, esse sofrimento não fará com que nenhuma fila diminua ou ande rápido, nem com que o atraso de alguém se transforme em pontualidade, nem mesmo com que o dinheiro que não nos pagaram de repente apareça ou ainda que qualquer congestionamento se dissipe como num passe de mágica.

Se não podemos mudar o passado, transformando o que é negativo em positivo, podemos mudar o presente sim se quisermos, transformando de negativo para positivo o modo como encaramos aquelas situações que, se nos prejudicam quando acontecem, não vão mais nos incomodar daí pra frente por não terem nossa permissão para isso.

Que nos dediquemos a cada dia em preservar realmente a felicidade na nossa vida antes de mais nada… agora inclusive.

 

O melhor de tudo é que a gente tem opção. A começar por concordar ou não com as afirmações acima.

Ótima semana, queridos leitores e leitoras!

Cleo Boa Nova é publicitário, palestrante, escritor, músico e comunicador, autor dos livros “A Nossa Vida é a Gente Quem Cria. Senão Não Seria a Nossa Vida” e “Viva Feliz o Dia de Hoje. Viva!” e autor-intérprete do CD “Paz e Alegria de Viver”.