Professores relatam problemas estruturais na UFSM em Cachoeira do Sul

Por 6 de maio de 2022

Crédito: Fritz R. Nunes

Diretores da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal de Santa Maria e uma equipe de funcionários da entidade estiveram no campus de Cachoeira do Sul na tarde desta quinta-feira. Foi a terceira visita de recepção às e aos docentes fora do campus sede desde o dia 11 de abril, após o retorno presencial. O diálogo com professores e professoras incluiu temas como a luta por reajuste salarial, a mobilização contra a reforma administrativa (PEC 32), mas não apenas isso.

Os professores Ascisio Pereira e Leonardo Botega, da direção da seção sindical, também ouviram da direção do campus e de outros docentes a respeito da situação na unidade. A lista incluiu problemas estruturais pelo fato de o governo federal não ter cumprido os acordos em relação à expansão, segundo as alegações apresentadas durante o encontro, o que causaria debilidade desde no espaço físico até no que se refere à carência de professores e de técnico-administrativos concursados.

Em visita às salas de docentes, foram entregues materiais produzidos pela Sedufsm que se relacionam à defesa da universidade e dos serviços públicos. Além de panfletos e folderes, camisetas foram distribuídas com slogans em defesa da ciência, da universidade e da vida, e máscaras de proteção contra a Covid-19.

A equipe da secretaria da Sedufsm esclareceu ainda sobre filiação ao sindicato, o plano de saúde e convênios e benefícios que a entidade possui.

A atividade no campus de Cachoeira do Sul encerra uma semana de visita de recepção a docentes fora do campus da sede, que contou ainda com os campi de Palmeira das Missões e Frederico Westphalen.