Os brasileiros são mesmo conservadores quando se trata de finanças?

Por 29 de junho de 2022

Fonte: Unsplash

Nos últimos dois anos, o número de brasileiros investindo na bolsa de valores e em diferentes ativos financeiros tem crescido exponencialmente. Em 2020, o número de pessoas físicas que investiram em renda variável — modalidade em que o investidor não sabe previamente o lucro da aplicação — dobrou em um ano. Uma pesquisa do ano passado mostrou que um em cada 10 brasileiros já investiu na Bolsa.

Após esse boom, os números continuam aumentando. Os brasileiros estão cada vez mais presentes no mercado de investimentos. Em janeiro deste ano, o número de pessoas físicas investindo na bolsa de valores atingiu o marco de 5 milhões, tendo um aumento mensal de 0,7%, percentual admirável se comparado aos demais anos.

A posição total dos investidores neste mesmo período também sofreu um aumento considerável de 2,7% ao mês, chegando a 510,2 bilhões de reais. Esse significativo aumento se dá pelo fato de o desempenho da bolsa de valores ter melhorado em comparação aos últimos anos.

A compra de ações representa a maior parte desses novos investimentos. Em seguida, estão as operações do mercado forex. As corretoras de investimentos para operar forex e ações, bem como qualquer outro ativo financeiro, funcionam hoje de forma muito democrática e acessível — em plataformas online, nas quais oferecem diferentes ativos e materiais de estudo para que todos possam se iniciar nesse universo.

No ano passado, foi aprovado um projeto que prevê nova regulamentação para o forex no país. Isso simplificou muito os fluxos de entrada e saída de outras moedas, especialmente o dólar. Novas empresas puderam passar a atuar no mercado de câmbio e todo o processo foi facilitado para novos investidores, atraindo cada vez mais brasileiros.

Investidores jovens e mulheres no mercado

A maior parte dos investidores da Bolsa de Valores do Brasil têm entre 26 e 35 anos, com 1.678.319 de contas ativas, representando 33,5% do total de contas. As pessoas com idade entre 36 e 45 anos ocupam o segundo lugar, com um total de 1.313.757 de contas ativas, o que equivale a 26,4% do total.

O valor investido, por sua vez, cresce na medida em que a idade avança. Esse fator pode estar relacionado ao aumento de renda e ao acúmulo de patrimônio. O número de mulheres investidoras também tem apresentado um crescimento significativo.

Fonte: Unsplash

O número de mulheres que investem na Bolsa de Valores do Brasil chegou à marca de 1,171 milhão, o que corresponde a 29% do número total de investidores pessoas físicas. Ainda que pareça uma representatividade pequena, o número de mulheres investidoras vem crescendo em ritmo acelerado, com uma alta de 36,2% em comparação aos demais anos.

Acompanhe o crescimento na tabela abaixo:

Número de mulheres na B3 nos últimos anos:

2018 179.500
2019 388.600
2020 847.500
2021 1.171.000

Os estados com maior número de investidores no Brasil

Há uma concentração maior de investidores nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais possuem um total de 56,7% do número total de investimentos. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul representam cerca de 17%.

De modo geral, é possível perceber que cada vez mais brasileiros têm mostrado interesse em assuntos relacionados ao mercado de investimentos. Até pouco tempo atrás não era tão simples falar sobre investimentos, visto que as informações eram escassas e de difícil acesso.

Hoje, é nítido o crescimento acelerado de pessoas que querem investir de modo cada vez mais diversificado, trazendo para a sua carteira um variado leque de ações, criptomoedas e outros ativos. O conservadorismo do brasileiro parece ter saído um pouco de cena.