MORRE GUIDUGLI, AOS 74 ANOS

Por 5 de julho de 2021

Faleceu na manhã desta segunda-feira (5), aos 74 anos, o professor municipal aposentado Marco Antônio Pereira Guidugli.

Com um conhecimento especial, principalmente a respeito de fatos históricos de Cachoeira do Sul, Guidugli morava em um residencial voltado para a terceira idade desde 2019.

Foram meses lutando contra problemas de saúde, mesclando internações e cirurgias, até que não resistiu mais e faleceu. A informação do óbito passou a circular após comunicado publicado nas redes sociais do proprietário do residencial onde Guigugli morava.

O óbito foi registrado às 3h30, no Hospital de Caridade e Beneficência. O corpo será velado na Capela da Funerária Madre Teresa, em frente ao Cemitério Municipal, na Rua Ivo Becker, 103. O sepultamento será realizado às 15h30, no Cemitério Municipal de Cachoeira do Sul. O velório iniciará às 14 horas.

Saiba mais

Guidugli foi professor municipal, colunista e recebeu, em 2009, o título de Cidadão Benemérito da Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul.

Em 2019, o Ministério Público de Cachoeira do Sul, por meio da promotora Maristela Schneider, obteve na Justiça medida protetiva em favor do professor municipal. O objetivo foi garantir atenção integral, tratamento e cuidado pelo Município.

Figura conhecida na cidade, Guidugli vivia perambulando pelas ruas com dinheiro no bolso, sendo que chegou a ser assaltado duas vezes em menos de 24 horas, tendo, inclusive, sido agredido.

Por meio da medida judicial, o Município, sob tutela direta do MP, ficou autorizado a gerenciar a vida financeira dele, já que recebia aposentadoria de mais de R$ 3 mil.

Crédito: MP/Arquivo

Conforme Maristela, foram feitas ao longo de um ano diversas abordagens pela equipe da Prefeitura e pela própria promotora, não se tendo obtido êxito em melhorar a qualidade de vida do aposentado, que vivia sujo, com as unhas enormes, vestimentas inadequadas ao clima (roupas de lã no verão, por exemplo), cheio de piolhos e com problemas de saúde física e mental.

Crédito: MP/Arquivo

A partir do acolhimento, a determinação foi que ele ficasse na Instituição de Longa Permanência para Idosos e só fosse sair com acompanhamento de um cuidador, até se adaptar com a rotina de viver no local. Acumulador, Guidugli morava em uma casa totalmente insalubre, sem banheiro. O local foi lacrado pelo município para evitar invasão ou até mesmo o seu retorno.

Crédito: MP/Arquivo

A ação ocorreu por meio de uma articulação do MP com a assistência social do Município de Cachoeira do Sul.

Com o deferimento da medida judicial, Guidugli recebeu atendimento médico e, após alta hospitalar, foi encaminhado pela equipe técnica da rede de proteção para instituição asilar, local onde passou a residir, custeado pelo próprio.

Crédito: MP