Menina fica ferida após atropelamento no Quinta da Boa Vista

Por 8 de outubro de 2021

Acidente na Rua Botucaraí: trecho asfaltado da via tem levado preocupação a moradores das proximidades / Foto: Milos Silveira

 

Uma estudante de 10 anos ficou ferida após sofrer um atropelamento por volta do meio-dia desta sexta-feira (8) na Rua Botucaraí, no Bairro Quinta da Boa Vista, zona norte de Cachoeira do Sul. Ela desceu de um ônibus escolar da Secretaria Municipal de Educação (Smed) próximo à esquina com a Rua José Ferreira Neves e, ao atravessar a via, foi colhida por um GM Astra com placas de Santa Maria.

Testemunhas que viram o acidente relatam que o motorista do carro transitava em baixa velocidade. Mesmo assim, o impacto jogou a menina contra o parabrisa, que ficou trincado. O homem ficou visivelmente abalado.

Sophia foi socorrida pela ambulância do Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Hospital de Caridade e Beneficência, onde até o fechamento desta matéria, por volta das 14h45min, permanecia em observação no setor de emergência, aguardando resultados de exames de raio x e tomografia. Quando foi socorrida, a estudante estava consciente e apresentava escoriações e suspeita de fratura num braço.

PERIGO NA BOTUCARAÍ

Moradores das proximidades se queixam dos perigos da Rua Botucaraí para motoristas e pedestres. Como o trecho onde aconteceu o acidente é asfaltado em cerca de meio quilômetro e apresenta relevo com declive, é comum motoristas transitarem em alta velocidade no local, o que não teria sido o caso do acidente desta sexta-feira.

Outro fator que preocupa é que o trecho apresenta intenso fluxo de pedestres, principalmente estudantes de escolas como Ciep Virgilino Jayme Zinn, Dr. Baltazar de Bem e Jenny Figueiredo Vieira da Cunha, na Forqueta, esta última de onde vinha o ônibus escolar da Smed que transportava a menina Sophia.

O servidor público Marcio Moreira e sua esposa Patricia Moreira relatam que há tempos solicitaram a vários vereadores que encaminhassem pedidos à Prefeitura para que sejam instalados quebra-molas na Rua Botucaraí. “Até hoje, nunca fomos atendidos. Parece que precisa acontecer uma tragédia para tomarem uma providência, e não é a primeira vez que acontece um acidente assim por aqui”, relatou o casal.