Maus-tratos e abandono de animais mudam rotina do Cempra em Cachoeira

Por 17 de janeiro de 2022

 

Diretor do Cempra, Renier Paschoal, recolhe filhotes de cães abandonados na ERS-403. Foto: Divulgação.

 Os maus-tratos e o abandono de animais em Cachoeira do Sul aumenta a cada dia e não têm hora para acontecer. Um cenário que provoca tristeza e muita indignação de parte de entidades, voluntários e órgãos públicos envolvidos na causa animal. Apesar de não existir uma estatística, as ocorrências quase que diárias assustam quem luta para evitar a crueldade com animais.  

O caso registrado na semana passada de um cãozinho atingido com água quente, no Bairro Promorar, na zona norte da cidade, preencheu mais um capítulo dos atos criminosos constatados pelo Centro Municipal de Proteção Animal (Cempra), localizado no distrito de Três Vendas e apoiado pela Secretaria do Meio Ambiente da Prefeitura de Cachoeira do Sul. O Cempra está transformado em um santuário. Lá estão cerca de 300 animais – cães, cavalos – bovinos – gatos – cuidados com muito carinho através de um criterioso trabalho de uma equipe dedicada e eficiente. Em muitas situações, a equipe do Cempra cruza as madrugadas para atender às denúncias. 

Os animais são chipados e fazem parte da visão de proteção determinada pelo prefeito José Otávio Germano. O Cempra atua em parceria com as ONGs, voluntários, Brigada Militar e Polícia Civil. “Em cada ocorrência sempre temos o apoio da Brigada Militar”, diz o diretor do Cempra, Renier Paschoal. Ele salienta que o trabalho é de conscientização, no entanto, a cada semana a equipe é surpreendida com a crueldade.  “Não tem hora. A gente quando recebe um aviso, seja da Brigada Militar ou da comunidade, inicia de imediato o deslocamento”, revela Paschoal, acrescentando que em cada ocorrência é analisada a situação para adotar os procedimentos, que vão desde a chipagem, identificação do proprietário e multa. 

MILAGRE

Há casos que comovem. O do cavalo Milagre é um deles. Ele foi encontrado quase sem vida na rua e agora faz parte de uma história de superação. Milagre – recebeu este nome porque ninguém acreditava em sua  sobrevivência. Foi uma luta com muita fé e  dedicação da equipe do Cempra, mas Milagre ficou sem a visão. Mesmo assim, basta alguém chamá-lo para que ela saia em disparada  para atender ao chamado. Assim como Milagre,  outros animais que estão sob os cuidados do Cempra sobreviveram. São filhotes e adultos que têm um lar e atenção a todo momento.  

PELAS RUAS

O abandono de animais em Cachoeira do Sul ocorre pelas ruas. Na ERS-403 – estrada que liga Cachoeira a Rio Pardo – filhotes de cães já foram recolhidos às margens da rodovia. Na Volta da Charqueada, bovinos são encontrados seguidamente soltos causando pânico para motoristas e pedestres, que utilizam a região para chegar ao centro da cidade. 

ONDE DENUNCIAR

A população pode recorrer ao telefone 190 da Brigada Militar e também ao ao 3724-6044 (Secretaria do Meio Ambiente).  

ATENÇÃO

A crueldade com animais tem uma trajetória negativa em Cachoeira do Sul.  Em 6 de julho de 2017, também no Bairro Promorar, uma matança de cães, gatos e pássaros mobilizou os órgãos de segurança. Uma atitude criminosa deixou animais mortos por vários pontos do bairro. Na época, foi constatado envenenamento, mas ninguém foi preso.