Levantamento: 6.219 moradores de Cachoeira do Sul estão em atraso para segunda dose

Por 19 de novembro de 2021

Em reunião realizada na sede da Secretaria da Saúde nesta sexta-feira, o secretário Marcelo Figueiró e a Coordenadora de Enfermagem da pasta, Patrícia Thomaz, receberam o coordenador da Defesa Civil, Edson das Neves Júnior, ocasião em que reafirmaram esforços na fiscalização dos faltosos da segunda dose na campanha de imunização contra a Covid-19.

Atendendo ao chamamento do prefeito José Otávio Germano para ampliar a cobertura vacinal da população, toda a estrutura das duas pastas que já atua nas demandas de combate ao Coronavírus passará a incorporar as buscas ativas aos retardatários da vacina, em seus respectivos grupos de risco, conforme levantamento da Vigilância Epidemiológica.

Pelos números do Governo do Estado, no momento 6.219 moradores de Cachoeira do Sul estão com o prazo expirado para receber a segunda dose do imunizante contra o coronavírus. Há várias razões para que o usuário do SUS não tenha procurado a segunda aplicação, explica o Setor de Imunizações do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS): entre eles, estar contaminado pela Covid-19, estar doente por outras causas, estar vacinado e ainda não aparecer o registro, não ter conseguido comparecer à unidade por outra razão.

Mas um dos maiores motivadores para o número expressivo, avalia o secretário da saúde, Marcelo Figueiró, ainda seria o atraso no envio dos dados ao Governo do Estado, já que os mesmos servidores que imunizam são os que cadastram as informações no sistema. “Estamos priorizando a vacina no braço e o monitoramento dos suspeitos com a doença”, explica Figueiró.

ESTRUTURA E EQUIPE

De qualquer forma, a mesma estrutura do acompanhamento dos positivados já disponibilizada pela Saúde e Coordenadoria da Defesa Civil vai ser concentrada a partir de agora na busca pelos faltosos. “Será nossa missão conjunta”, ressalta o secretário ao mapear as áreas a serem percorridas, presencialmente, pela equipe de 16 servidores em quatro veículos, todos os dias da semana. O trabalho envolverá também o pessoal do monitoramento Covid-19 (médicos, enfermeiro e agentes de saúde), atuando diariamente, em escalas, por meio de telefone fixo, celulares e WhatsApp.

texto e imagem: Viviane Souza