Gravações sugerem participação direta de Bolsonaro em esquema de “rachadinha”

Por 5 de julho de 2021

O áudio de uma mensagem da ex-cunhada do presidente Jair Bolsonaro foi divulgado na madrugada desta segunda-feira e sugere que ele cuidava pessoalmente do esquema de desvio de salários de seu gabinete. Na mensagem, reproduzida pelo UOL, Andrea Siqueira Valle, irmã da ex-mulher de Jair Bolsonaro, diz que o presidente demitiu seu irmão porque ele se recusava a devolver uma parte do dinheiro da rachadinha:

“O André deu muito problema porque ele nunca devolveu o dinheiro certo que tinha que ser devolvido, entendeu? Tinha que devolver R$ 6.000, ele devolvia R$ 2.000, R$ 3.000. Foi um tempão assim até que o Jair pegou e falou: ‘Chega. Pode tirar ele porque ele nunca me devolve o dinheiro certo” – Andrea Siqueira Valle

A própria Andrea, que foi assessora de Jair Bolsonaro por oito anos, confessou a rachadinha em outro áudio:

“Porque assim, eu procurei a Cristina, o tio, liguei para o gabinete do Flávio para saber o que tinha que fazer, fiquei com medo de complicar as coisas para eles, ainda pensei neles. Na hora que eu estava aí fornecendo também e ele estava me ajudando porque eu ficava com mil e pouco e ele ficava com sete mil reais, então assim, certo ou errado agora já foi, não tem jeito de voltar atrás” – Andrea Siqueira Valle

As gravações inéditas apontam o envolvimento direto do presidente no esquema ilegal conhecido por “rachadinha” na época de seus mandatos de deputado federal (entre os anos de 1991 e 2018). As declarações indicam que Jair Bolsonaro participava da prática que configura o crime de peculato (mau uso de dinheiro público).