Ataque contra cachoeirenses: golpistas usam nome de corretora de moedas virtuais

Por 19 de agosto de 2021

Mensagens de golpistas invadem caixas de e-mails de cachoeirenses em uma onda que ganhou força no mês de agosto. Conforme apurado pela reportagem do Portal OCorreio, os estelionatários utilizam o nome da maior corretora de criptomoedas do mundo para implementar credibilidade ao ataque criminoso que tenta enganar os destinatários, incluindo agora moradores de Cachoeira do Sul.

Com um texto em inglês, o e-mail chega a enfatizar a possibilidade de ganhos que girariam entre US$ 1 mil a US$ 5 mil “extras por mês”. Ou seja, um montante que chegaria até cerca de R$ 30 mil mensalmente. “Você precisa de um grande número de afiliados para fazer as coisas funcionarem. Tive a sorte de inscrever três amigos que colocaram US $ 10.000,00 cada e, dependendo do volume de negociação, ganhei US$ 1 mil a US$ 5 mil extras por mês PASSIVAMENTE“, destaca a mensagem dos golpistas que a reportagem teve acesso.

Usando a identidade de “Sal”, o estelionatário começa sua falsa história dizendo que passaria por dificuldades em decorrência da pandemia de Covid. “Como muitos outros, a pandemia me atingiu com força e perdi meu emprego. Agora estou fazendo o que posso entre trabalhos e experimentando diferentes maneiras de ganhar dinheiro com a internet”, lamenta.

Na sequência, o autor da mensagem passa a usar o nome da corretora mundial de moedas virtuais. Conforme detalha, ele recebe comissão “PARA TODA A VIDA” quando “amigos” negociam com a empresa. “Você não precisa colocar nenhum dinheiro próprio. Também pode ganhar dinheiro indicando para seus amigos”, sugere o golpista.

Junto com o texto, links são expostos para as vítimas clicarem e darem sequência na sua entrada no negócio. “Acesse este url e simplesmente cadastre-se com seu e-mail e senha. Isso leva apenas 30 segundos!”, reforça o criminoso. A armadilha está justamente nos links. Ao clicar, o destinatário do e-mail vira alvo vulnerável ao ataque dos estelionatários, podem ter suas informações roubadas – incluindo senhas – e até seu sistema corrompido.

Alerta da corretora

A reportagem do Portal OCorreio entrou em contato com a corretora de criptomoedas que tem o nome da plataforma utilizado pelos golpistas nos ataques, incluindo vítimas em Cachoeira do Sul. Seus clientes já foram alertados sobre o golpe.

O comunicado da empresa confirma a apuração da reportagem sobre estelionatário que fingem integrar a equipe da corretora e enviam e-mails prometendo ganhos. “Os golpistas se fazem passar pela equipe da Binance de várias maneiras, incluindo o envio de e-mails fingindo se comunicar em casos de compensação”, destaca a plataforma.

Ainda de acordo com a corretora, os destinatários das mensagens precisam agir com atenção ao receberem contato via suas caixas de e-mails. “Sempre seja cauteloso. Se você receber uma comunicação de alguém que acredita ser um golpista, envie uma mensagem para o suporte ao cliente do Binance”, orienta.

Image

Crédito: OC/Reprodução

Phishing? Ponzi?

O crescimento do mercado de criptomoedas chamou a atenção de investidores, mas também de estelionatários. Os ataques são em forma de phishing e esquemas Ponzi.

Como o nome sugere, phishing é o crime de enganar os alvos do golpe para o roubo de suas informações confidenciais – como senhas e número de cartões de crédito. No mercado financeiro, um fator importante é o emocional das vítimas. Por isso, a dica de especialistas é uma prévia pesquisa e ter segurança com plena compreensão de como funciona a tecnologia.

Já um esquema Ponzi é uma operação fraudulenta sofisticada de investimento do tipo esquema em pirâmide que envolve a promessa de pagamento de rendimentos altos aos investidores à custa do dinheiro pago pelos investidores que chegarem posteriormente, em vez da receita gerada por qualquer negócio real. O nome do esquema faz referência ao criminoso financeiro ítalo-americano Charles Ponzi.

Orientação contra o golpe

May be an image of Emerson Wendt

Delegado Emerson Wendt / Crédito: OC/Reprodução

O delegado e ex-chefe estadual da Polícia Civil, Emerson Wendt, é reconhecido por seu conhecimento em relação a golpes cibernéticos, incluindo sua atuação que colaborou para tornar o Estado em referência nacional no combate ao tipo de crime. Sobre os ataques, Wendt orienta cautela e precaução. “Mantenha seu computador totalmente atualizado. Se não souber como fazer isto, peça ajuda”, explica o delegado. “Vulnerabilidades em software ajudam os fraudadores. Instale e mantenha atualizado um antivírus, firewall pessoal, anti-spyware e anti-spam“, completa o especialista.

Ainda segundo Wendt, o usuário deve atualize seu navegador. “Tenha sempre as versões mais recentes de navegador (browser). Ter a última geração de navegadores instalada oferece proteção adicional contra golpes de phishing e vírus”, justifica. “O envio de mensagens maliciosas por meio de spam é uma das principais portas de entrada de fraudes. Marque mensagens que apresentam sinais de phishing como spam. Desta forma, você e outros usuários serão menos expostos a mensagens maliciosas”, finaliza.