FORA DENGUE: 1.792 casas foram visitadas nos supermutirões

Por 8 de maio de 2022

Com três edições realizadas até agora, os supermutirões contra a Dengue, organizados por orientação do secretário municipal da Saúde, Marcelo Figueiró, já visitaram 1.792 casas na zona urbana. A atividade iniciou no Bairro Oliveira, onde está a maioria dos contaminados. Foram contatadas 422 casas. Depois, a ação seguiu para o Noêmia, onde visitou 649 residências. Após, para o Santa Helena, atingindo 721 imóveis.

Em torno de 50 servidores públicos, incluindo agentes de endemias e de saúde, participam da empreitada, visitando as casas para verificar seus pátios. Nas residências, orientaram contra o acúmulo de água, pois é nestes locais que o mosquito Aedes aegypti deposita seus ovos e suas larvas se desenvolvem. Como o mosquito é o transmissor da doença, acabar com sua reprodução é a melhor maneira de impedir a propagação da doença.

Os agentes tentaram identificar todos os tipos de recipientes que possa acumular líquido como garrafas, potes, vasos, piscinas sem tratamento, e outras situações que propiciem a contenção. Os servidores instruem para que os moradores limpem e mantenham os pontos sem acúmulo de água.


“Na segunda feira, devemos levar o supermutirão ao Bairro Marina, a partir das 8 horas, saindo da EAP local (UBS 14). A nossa principal dificuldade neste processo tem sido a chuva, que dificulta a visitação nos bairros, mas abrindo sol, estaremos presente. Cada casa visitada pelos agentes de endemia e saúde deve ser comemorada como uma vacina aplicada. No entanto, o morador tem de manter a limpeza de seu habitat, depois que o servidor público vai embora. Isto ou mosquito retornará. Os supermutirões são uma das armas que dispomos contra a Dengue, mas a principal defesa depende de cada cidadão que precisa fazer sua parte. O melhor mutirão é a própria pessoa quem faz. Verificar o pátio para identificar e excluir potes, pneus, garrafas, limpar piscinas sujas e caixas d’água, desmanchar qualquer outro local que propicie o acúmulo de água são as únicas formas de acabar com a Dengue. Estamos vencendo a Covid e com a ajuda da população, tenho certeza, vamos vencer a dengue e o mosquito Aedes aegypt também” – secretário municipal da Saúde, Marcelo Figueiró