Fonte das Águas Dançantes será revitalizada

Por 12 de julho de 2021

A Fonte das Águas Dançantes, um dos cartões-postais de Cachoeira do Sul, ganhará vida nova em breve. Em um projeto idealizado pela primeira-dama, Vanessa Simon, sob os cuidados da Secretaria Municipal de Desportos, ela passará por uma revitalização, passando de manual para digital todo seu sistema de hidráulico, sonoro e de iluminação.

O secretário de Desportos, Eduardo Marzall, explica que o atual sistema da Fonte das Águas Dançantes ainda funciona, mas de forma bastante precária. Ele explica que, por exemplo, para cada movimento da fonte acontecer, é preciso acionar um botão diferente, tudo feito de forma manual por algum servidor municipal, que precisa ficar em um espaço abaixo da fonte e bem apertado. O novo sistema terá ainda refletores de led, que são mais resistentes à água. Já o som, terá capacidade de ser conectado ao sistema de som local. Desta forma, se um violão, por exemplo, estiver sendo tocado no local, o movimento das águas poderá acompanhar este som. “Neste momento está sendo preparada a nova identidade visual da fonte para incluir no projeto. Mas já estamos trabalhando para conseguir um apoiador para cobrir os custos desta modernização. A conversa já está bem adiantada e temos convicção de que vai dar certo”, frisa Marzall, que junto com o diretor da pasta, Maicon Paschoal, levou Zita Savi, filha do idealizador da fonte, Artibano Savi, até o local para anunciar o seu projeto de recuperação. “Ela ficou muito contente quando ficou sabendo da iniciativa de reforma”, contou Paschoal.

A expectativa é que a inauguração do novo sistema aconteça em 8 de dezembro, data que marca a celebração da Padroeira de Cachoeira do Sul, Nossa Senhora da Conceição, e início da Semana de Cachoeira do Sul. A Orquestra Sinfônica e o Balé da UFSM, são duas das atrações que já estão sendo tratadas para serem apresentadas na inauguração.

HISTÓRIA – A Fonte das Águas Dançantes foi inaugurada em 15 de maio de 1968, durante a II Fenarroz. Ela leva o nome de seu idealizador, Artibano Savi e fica na parte central da Praça José Bonifácio. Esta fonte ficou ficou conhecida como a primeira do gênero na América Latina.

Tradicionalmente acionada nas noites das quartas-feiras, sábados e domingos, animava as famílias com suas luzes, cores e sons sincronizados com os chafarizes.

Registros históricos do Arquivo Municipal relatam que Artibano Savi passou muitas noites em claro até conceber o mecanismo da Fonte. Dizia que havia se baseado em um filme de uma feira de Nova Iorque.

Funcionando através de bombas especialmente fabricadas para o seu fim, compunha-se de 50 refletores subaquáticos de 500 watts de que resultavam cinco cores diferentes. O número de esguichos dos chafarizes chegava a 1.700, formando mais de 100 figuras diversas.