16.6 C
Cachoeira do Sul
sexta-feira, 26 fevereiro, 2021 - 06:43
Cachoeira do Sul e Região em tempo real

FIQUE MAIS LEVE – Fulano é antissocial: A diferença entre fobia social, timidez e antissocial

O texto de hoje foi inspirado pelo questionamento de uma pessoa que tem no significado de seu nome a palavra sabedoria. É muito comum as pessoas nomearem aquelas pessoas tímidas, que não gostam de estar nas multidões, ou que não que não gostam de muita conversa serem chamadas de antissociais. Entretanto, há diferenças significativas entre os termos antissocial, fobia social e timidez.

Aquelas pessoas consideradas antissociais, em primeiro lugar tem essa definição após avaliação de profissionais, que, segundo critérios científicos tratam determinadas características como um transtorno de personalidade.O termo vem da ideia de “anti” = contra e “social” = meio ou sociedade.

De acordo com o nosso DSM V, o transtorno da personalidade antissocial é um padrão difuso de indiferença e violação dos direitos dos outros. Ele surge na infância ou no início da adolescência e continua na vida adulta. A característica essencial do transtorno da personalidade antissocial é um padrão difuso de indiferença e violação dos direitos dos outros. Para que esse diagnóstico seja concretizado, o indivíduo deve ter no mínimo 18 anos de idade e deve ter apresentado alguns sintomas deste transtorno antes dos 15 anos. Alguns comportamentos comuns neste tipo de personalidade são agressividade envolvendo tanto
pessoas como animais e também destruição de espaços, ou propriedades coletivas, possuindo pouca capacidade de desenvolver a empatia.

É comum serem considerados insensíveis, cínicos e desdenhosos em relação aos sentimentos, direitos e sofrimentos dos outros, além de ausência de remorso em relação as suas atitudes, e costumam ter um autoconceito “inflado” achando-se superiores aos demais.

Já a fobia social é um transtorno de ansiedade, na fobia social a pessoa se sente ansiosa em “situações sociais”, quando poderia se sentir observada pelos outros. A pessoa fica insegura, temendo pelo seu desempenho e preocupada com o que poderão pensar dela naquele estado.

O grau de ansiedade pode ser muito intenso, podendo chegar a uma crise aguda de ansiedade. As situações sociais temidas podem ser variadas, como escrever na frente dos outros, falar em público, comer em locais públicos, entrar em lugares cheios, ir a um evento social, fazer uma entrevista de emprego, sendo que todas essas situações causam sofrimento significativo para quem sente, gerando prejuízos significativos na vida pessoal.

Já a timidez, pode ser considerada uma característica de personalidade normal, que não é considerado uma doença. Inclusive em algumas culturas a timidez é vista de forma bem positiva. E embora a timidez excessiva esteja presente nos critérios para diagnóstico de transtorno de ansiedade social, ela sozinha não caracteriza nada, apenas um modo de agir no mundo, onde o sujeito é mais introvertido, o que não significa que isso lhe cause sofrimento.

De modo geral, essas pessoas não buscam por muita interação, mas conseguem realizar interações quando necessário, não causando nenhum tipo de sofrimento significativo, o que difere das pessoas com fobia social, que elevam sua ansiedade quando estão em situações sociais a um nível insuportável causando inclusive sintomas físicos.

Portanto, quando você chama seu colega, familiar ou amigo de antissocial você está na verdade dizendo que ele não tem empatia, como expliquei logo acima, e não que ele é tímido, além de não ajudar aquelas pessoas que realmente sofrem de ansiedade social, e que precisam de ajuda profissional para lidar com isso.

Vanessa Santos – Psicóloga CRP 07/25298

Contatos:

E-mail: vanessasantospsicologa@gmail.com

Facebook: @maislevepsicoterapiaonline

Portal OCorreio
Portal de notícias de Cachoeira do Sul e Região