ESTIAGEM: CACHOEIRA DECRETA EMERGÊNCIA

Por 11 de janeiro de 2022

Crédito: Alisson Boiynk

O prefeito José Otávio Germano assinou na tarde desta terça-feira o Decreto Municipal 06/2022, que declara situação de emergência em Cachoeira do Sul devido a estiagem. Os dados levantados pela Defesa Civil apontam que toda a área urbana e rural do Município está sendo afetada pelos efeitos da estiagem decorrentes da falta de chuvas, causando danos humanos e ambientais e prejuízos econômicos públicos e privados.

Segundo dados da Emater, as perdas estimadas na soja são de R$ 228.087.441,70, representando 20% da lavoura. No arroz chega a R$ 22.599.360,00, representando 10% da lavoura. No milho, a perda chega a 46,50%, somando R$ 33.523.787,50. Nas hortaliças estima-se em 34,2% de redução de oferta de produtos, com perdas de R$ 183.185,25. Já na pecuária, estima-se um prejuízo diário de R$ 391.181.56, devido ao não ganho de peso do gado. Em 45 dias esse valor chega a R$ 17.631.702,00. Assim, o valor estimado de perdas somente nestas áreas chega a R$ 302.025.476,50.

A Secretaria Municipal da Agricultura hoje abastece 92 famílias com 508 pessoas, com um total de 205.300 litros de água distribuídos somente no mês de dezembro de 2021, com um custo d​e​ R$ 26.793,44. De acordo com a Secretaria Municipal de Inclusão Social, até o momento, 56.058 pessoas estão sendo afetadas diretamente pela estiagem em Cachoeira do Sul, baseado em dados da Corsan, Emater e Secretaria da Agricultura.

Importante

O decreto de emergência, após ser assinado pelo prefeito, ainda precisa ser avalizado pelo Governo Estadual e o Federal. Este documento sinaliza uma situação adversa no município e pode auxiliar na busca por auxílio estadual e federal para atender aos produtores prejudicados pela estiagem.

Texto: Patricia Miranda