Estado puxa as orelhas de Cachoeira do Sul no enfrentamento à covid

Por 30 de junho de 2021

Secretária Arita Bergmann faz previsões catastróficas, como “colapso hospitalar total”, caso medidas mais duras contra a pandemia não sejam tomadas em Cachoeira do Sul / Foto: Marília Bissigo/Ascom SES

O governo do Estado volta mais uma vez os olhos para Cachoeira do Sul para chamar a atenção para a gravidade em que se encontra a situação da pandemia da covid-19 no município. Num discurso duro, como um puxão de orelhas, a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, afirmou nesta quarta-feira (30) que a situação de Cachoeira é preocupante pelo número de casos ativos e também pelas hospitalizações.

Preocupada com chegada e a propagação da variante delta (indiana, a mais agressiva) do novo coronavírus no país, a secretária Arita teme que Cachoeira do Sul não tenha fôlego para absorver uma demanda muito maior de pacientes graves na rede de atendimento, incluindo a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital de caridade e Beneficência (HCB). ““Se nada for feito, não vamos conseguir reduzir o número de casos, de internações e de óbitos na região. E, se a variante delta chegar hoje ao Rio Grande do Sul, a região de Cachoeira não terá retaguarda necessária para acolher os pacientes com Covid-19, correndo risco de colapso total hospitalar”, alertou Arita. Por enquanto, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) ainda não registrou casos de coronavírus causados pela variante indiana.

De acordo com a promotora de Justiça de Cachoeira do Sul, Débora Jaeger Becker, o Ministério Público observou que, desde os primeiros Alertas, as medidas na região de Cachoeira do Sul foram apenas flexibilizadas, e não enrijecidas, conforme orientação do Gabinete do Crise. “Muito nos preocupa a discrepância entre a realidade técnica, embasada em dados, e as práticas adotadas pela região”, destacou.

Os prefeitos da região apontaram que o município de Cachoeira do Sul não tem seguido as orientações acordadas no plano de Ação. Sendo assim, o coordenador do Gabinete de Crise, Marcelo Alves, convocou uma reunião com o prefeito José Otávio Germano para esta quinta-feira (1º), também com participação do Ministério Público e da SES.

Por parte da SES, a secretária Arita reforçou a disponibilidade de equipamentos e de mais recursos para ampliar a fiscalização do cumprimento de medidas. Pelo MP, além da promotora Débora e do procurador-geral de Justiça, também participaram a subprocuradora-geral para assuntos jurídicos Ângela Salton Rotunno e a coordenadora do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos, Gisele Müller Monteiro.

 

ATENÇÃO

Cachoeira do Sul apresentou, nos últimos dias, uma leve queda no número de casos, mas ainda bastante superior à média estadual. É a quarta pior incidência de casos do RS, bem acima da média do Estado. Além disso, tem a maior taxa de mortalidade na última semana, maior que o dobro da taxa do Estado, e a maior taxa de ocupação de leitos de UTI entre todas as regiões Covid-19. A região de Cachoeira do Sul recebeu Alerta em 18 de maio e, desde então, recebeu um total de seis Alertas.

Confira o histórico da região.

 

A SITUAÇÃO DE CACHOEIRA DO SUL EM NÚMEROS:

Boletim HCB (29/06):

UTI Covid: 15 pacientes, sendo 12 de Cachoeira do Sul e os outros três de Novo Cabrais, Caçapava do Sul e Sobradinho

Enfermaria covid: 7 pacientes

Altas hospitalares – 1

Atendimentos no Centro de Triagem UPA: 22

 

Boletim Secretaria Municipal da Saúde (29/06):

MONITORAMENTO
TOTAL CASOS 410
TOTAL DE CASOS SUSPEITOS EM ISOLAMENTO 81
TOTAL DE CASOS CONFIRMADOS ISOLAMENTO 329

Novos casos confirmados: 22

Novos óbitos: 2

Total de casos confirmados desde o início pandemia: 10.235

Total de óbitos desde o início da pandemia: 180

Fonte: Prefeitura de Cachoeira do Sul e HCB