Eleições 2020 do MTG/RS: lamentável

Por 29 de janeiro de 2020

Por Marcos Silva

O ano eleitoral no MTG era para ser um marco pela quebra de paradigmas até então por alguns desentendidos, (de que o gaúcho é machista), mudou um pouco o foco.  E “deu uma balançada no galho”.

A Justiça manifestou-se em 23 de janeiro de 2020, favorável a Sra. Gilda Galeazzi, como presidente eleita do MTG em cumprimento ao Art. 127 – Parágrafo único do MTG: “Em caso de empate será considerada eleita a chapa que contiver o candidato mais idoso”.

Determinando a sua posse imediata, acolhendo o pedido de tutela urgente através de Despacho/Decisão da 2ª Vara Cível da Comarca de Lajeado, onde tramita o processo. Acolhendo inclusive a “AJG” (Assistência Judiciária Gratuita), o que a muitos não chama a atenção, mas a mim chamou, e sei que a muitos detalhistas irá chamar.

Mas a “novela” não teve capitulo final, pois teve mais um episódio no dia 25 de janeiro de 2020, um recurso impetrado pela Sra. Elenir Winck, solicitando a suspensão da posse e que a atual diretoria seja mantida até a prolação da sentença de mérito, o que demandará tempo.

A conclusão de tudo isso resume-se em uma só palavra: lamentável.

– É lamentável que um órgão como o MTG até então considerado orientador, fiscalizador, e mantedor das Tradições Gaúchas tenha sua sigla ligada a inconformismos, mas interpretações, zombetearias, próprias autodenominadas “autoridades” postando em rede social charges do regulamento de luto; quando estes mesmos autointitulados deveriam ter a decência de preservar e acatar o Regulamento, procurando esclarecê-lo da melhor e mais responsável forma.

– É lamentável que a sede de se manter no poder é maior que a própria causa.

– É lamentável que os filiados fiquem acéfalos, quando muitos estão inconformados com a forma de agir da atual gestão, que é desastrosa.

Mas a luz da Justiça é clara, e a malfadada prolação da sentença de mérito foi INDEFERIDA, mantendo a posse e reconhecendo a Sra. Gilda Galeazzi, como presidente de Fato e de Direito.

 

CTG TROPEIROS DA LEALDADE

O recorrer de Justiça, parece ser o futuro da Tradição Gaúcha, pois como o exemplo vem de cima, esta foi a maneira que o candidato a reeleição a patrão do CTG Tropeiros da Lealdade Paulo Machado teve que seguir no último dia 15 de janeiro, para poder concorrer novamente a patrão do CTG, vista ter nas vésperas da eleição ter sido comunicado de uma punição da comissão de ética do MTG por supostas infrações a Ética do Movimento; que a luz da justiça conforme despacho favorável do MM Dr. Juiz de Direito da Comarca de Cachoeira do Sul, a  favor de Paulo Machado a concessão de tutela antecipada, com o direito a disputar o pleito que sagrou-o vencedor com 147 votos favoráveis contra 78 votos de oposição. Segundo o despacho, a “punição não era clara, pois não apontava as supostas irregularidades cometidas”.

Aliás, expedida pela mesma comissão de ética que no ano de 2018 a “mim” aplicou duas punições em um mesmo processo com espaço de 13 dias. A primeira em 5 de outubro de 2018, e a segunda em 17 de outubro de 2018.  A primeira com “advertência”, e a segunda com “suspensão de 90 dias”. Erro grotesco (duas condenações num mesmo processo) “julgado e homologado” pela mesma pessoa que na época era presidente da Comissão de Ética e que hoje pleiteia judicialmente impedir a posse como presidente do MTG da Sra. Gilda Galeazzi. Infelizmente do Recurso por mim impetrado junto ao “Conselho Diretor do MTG” (recurso que me cabia), até hoje não foi julgado, pois do mesmo até hoje não recebi resposta.

– Erro ou favoritismo?

– Se erro, prova cabal de desconhecimento.

– Se favoritismo, prova cabal de que realmente não servem para presidir o MTG.

Tirem suas conclusões …

 

CTG ESTÂNCIA DO CHIMARRÃO

Dia 8 próximo, um dos eventos mais esperados do ano, acontece no CTG Estância do Chimarrão.  O 12º Jantar Baile de Ramada.  O popular “caramanchão” já está sendo cuidadosamente preparado para o evento.  A partir das 20.30 h, estará sendo servido o jantar (churrasco com acompanhamentos), após o “Baile de Ramada”, que segundo o patrão José Elmo Nunes, terá 6 horas de duração. Animado por dois Conjuntos Musicais. Origem Gaúcha da capital do estado e Clênio Bibiano e Os Conterrâneos aqui de Cachoeira do Sul. Quem permanecer no baile até seu final será brindado com um “Café Tradicional do Estância” na madrugada.  Que será acompanhado com iguarias tradicionais.   Ingressos para a Janta com direito ao Baile e Café a venda.   E quem quiser assistir ao Baile e for sócio do Estância do Chimarrão ou qualquer outro CTG coirmão e estiver em dia com a tesouraria, terá livre ingresso.

Traje: preferencialmente pilcha ou condizente com o ambiente.

 

AGENDA TRADICIONALISTA DE CACHOEIRA DO SUL:

8 de fevereiro:

12º Jantar Baile de Ramada do CTG Estância do Chimarrão

  • 20h30min na Sede Social no Passo do Moura – Cachoeira do Sul
  • Animação: Origem Gaúcha (Porto Alegre) e Clenio Bibiano e Os Conterrâneos (Cachoeira do Sul)

 

27 de março:

Baile no CTG Tropeiros da Lealdade

  • 23h30min
  • Animação: Chiquito & Bordoneio