Efeito cascata em Cachoeira do Sul

Por 1 de dezembro de 2021

Daniela Santos, Jeremias Madeira e Kader Saleh poderão ter mais um jogador no time do PL na Câmara de Vereadores: Felipe Faller, do PSL (ainda). São duas razões que potencializam a possibilidade. A primeira é a fusão do PSL com o DEM. Localmente, a união parece mais ter desagradado (dois dois lados, inclusive). O outro motivo é a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL.

Após ser eleito pelo PSL, o “Mito” deixou a sigla e ficou sem partido. Ano que vem tem eleições. E Bolsonaro agora é PL, depois de tratativas que contaram até com adiamento de ato de filiação até o acerto. Faller é um declarado apoiador do presidente. Aliás, ter sido eleito passa justamente por tal posição. Assim, vai para onde Bolsonaro estiver. O que não ocorreria, claro, em caso de algum tipo de desencontro entre o partido local e o vereador.

No exercício de projeção, então, o PL teria quatro vereadores eleitos com mais três anos da atual legislatura. Ou seja, uma força significativa na Câmara de Vereadores.

Outro ponto a ser ventilado nesse prisma de análise pode ser resumido em uma pergunta: o bloco prestará apoio declarado a Bolsonaro ou nem todos defenderiam o candidato pela sua reeleição?