É de Cachoeira do Sul: touro mais pesado da Expointer tem 1.245 quilos

Por 5 de setembro de 2021

O touro Guardião da Boa Esperança (box 1.032) supera todos os outros 4.056 animais presentes na 44ª Expointer em termos de peso. Neste domingo, o bovino da raça limousin marcou 1.245 quilos na balança montada para o julgamento de admissão dos animais. O porte avantajado é característica da raça, mas também é marca de família. Guardião é filho do reprodutor mais pesado da Expointer de 2017, o touro 3M Batista, de 1.450 quilos.

O proprietário da fazenda Boa Esperança, de Cachoeira do Sul, Edgar Lima, conduziu o touro Guardião, de quatro anos, até o serviço de pesagem por imaginar que o animal se destacaria na balança. Lima conta que, para ultrapassar uma tonelada, o reprodutor recebeu tratamento especial nos últimos meses.

Em março, foi acomodado num piquete recebendo silagem de milho, casca de soja e ração. Nos últimos 50 dias, passou a residir em estábulo e a alimentação recebeu um ingrediente a mais, a alfafa. “Vamos levar a julgamento em busca do título de grande campeonato”, comenta o criador que, desde 2000, trabalha com a raça limousin.

Um dos responsáveis pelo julgamento de admissão dos bovinos de corte na Expointer, médico-veterinário da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Antônio Rubimar Pollet Valente, explica que a pesagem dos animais faz parte do julgamento de admissão que é composta ainda pelo exame da arcada dentária, comprimento, altura e do perímetro escrotal (caso dos machos), conferência de tatuagem de cada animal e outros aspectos.

Após passar por esta avaliação, os animais são liberados para participação dos julgamentos. “Os dados que saem desta admissão passam a ser uma ferramenta para os jurados que analisam os animais em pista”, explica Valente. O julgamento de admissão é feito em parceria entre o Departamento de Defesa Agropecuária da Seapdr e as associações de raças.

Crédito: Rodger Timm / Palácio Piratini