Divinut representa noz-pecã brasileira em congresso mundial

Por 9 de maio de 2022

Crédito: OC/Reprodução

Entre quarta-feira e sexta-feira, Dubai, nos Emirados Árabes, receberá o Congresso Mundial de Nozes e Frutos Secos. Ao todo, nove empresas brasileiras confirmaram presença. A única no ramo de noz-pecã é a Divinut, de Cachoeira do Sul.

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de noz-pecã, atrás de Estados Unidos, México e África do Sul. Na última safra, bateu recorde de produção com 6 mil toneladas.

A representação da Divinut deve participar de rodadas de negócios durante o evento. Um dos focos atingir uma relevância ainda maior no mercado internacional, colocando a noz-pecã brasileira cada vez em maior evidência.

As exportações começaram em 2020, com remessas para a Itália. No ano seguinte, seguiram para Israel. Em 2022, a Divinut inclui a Espanha, além de Dubai.

A Divinut fará sua terceira participação no maior evento da indústria de nozes e frutas secas do mundo, que chega na sua 39ª edição. Serão mais de 1 mil participantes de pelo menos 60 países.

Crédito: Divinut

Saiba mais

A produção nacional de noz-pecã está concentrada nos três estados do Sul. O Rio Grande do Sul responde por mais de 70% da produção nacional, abrigando todas as indústrias processadoras.

Os pomares com nogueiras-pecã ocupam mais de 8 mil hectares em 5 mil propriedades.

A colheita da noz-pecã no Brasil começou em abril e deve se estender até a virada de semestre com perspectiva de uma safra inferior ao ciclo anterior.