7.6 C
Cachoeira do Sul
quarta-feira, 23 setembro, 2020 - 07:27
Cachoeira do Sul e Região em tempo real

Distanciamento Controlado: em nota, HCB aborda importância de leitos para Covid

Em nota assinada pelo superintendente do Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), Luciano Morschel, e o prefeito de Cachoeirado Sul, Sergio Ghignatti, a casa de saúde aborda o modelo de Distanciamento Controlado e a possibilidade do Município precisar adotar os protocolos de bandeira vermelha (risco alto de contágio de Covid-19).

Confira a nota:

Considerando a última avaliação realizada pelo Estado do Rio Grande do Sul no dia 13 de julho de 2020, que classificou a Região 27 – Cachoeira do Sul em Bandeira Vermelha – alto risco para COVID-19, cumpre informar à população cachoeirense o que segue:
Os índices que determinam a classificação da região em Bandeira Amarela, Laranja, Vermelha ou Preta no Distanciamento Controlado do Estado do Rio Grande do Sul são 11 sendo 4 REGIONAIS, 5 MACRORREGIONAIS e 2 ESTADUAIS. Não existe indicador somente do Município de Cachoeira do Sul.
Os índices que medem a disponibilidade de leitos livres de UTI são calculados com base nos dados da MACRORREGIÃO e do ESTADO.
A macrorregião Vales, a qual pertence Cachoeira do Sul, possui o total de 145 leitos, entre leitos UTI não COVID e leitos UTI COVID-19.
A Região 27 – Cachoeira do Sul e Municípios da 8ª CRS conta com 20 leitos de UTI (leitos do HCB), sendo 10 leitos UTI COVID-19.
Se qualquer dos hospitais incluídos nos municípios da macrorregião Vales criar novos leitos UTI COVID-19, a medida beneficiará Cachoeira do Sul. Da mesma forma, aumentando o número de leitos ocupados por internações em UTI COVID-19 em qualquer daqueles municípios, haverá impacto negativo na nota final da Região 27 – Cachoeira do Sul.
O Hospital de Caridade e Beneficência, como medida de enfrentamento ao COVID-19, DUPLICOU a capacidade de leitos UTI disponíveis – em março de 2020, o HCB possuía 10 leitos UTI. Hoje, o HCB tem 10 leitos de UTI e 10 leitos de UTI COVID-19.
Destes 10 leitos criados, 8 foram habilitados pelo Ministério da Saúde e ficam sob regulação de leitos do Estado que pode utilizá-los com pacientes residentes em qualquer local do Estado e outros 2 sob regulação interna no Município.
A possibilidade de nova ampliação de leitos UTI COVID-19 foi analisada tecnicamente pelo HCB, concluindo o Hospital por sua inviabilidade, em especial, pelos seguintes fatores:
* Escassez de médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem com qualificação para atendimento em UTI: esta é a principal dificuldade enfrentada pela maioria dos hospitais em todo o Estado, considerando que não existem profissionais em número suficiente para ampliação de leitos, especialmente no interior do RS e em locais que não contam com universidades formadoras de médicos. Hoje a UTI COVID-19 funciona com 15 médicos plantonistas, sendo que a grande maioria se reveza com outros compromissos no próprio HCB, demonstrando a dificuldade de manter a escala médica completa para atender estes leitos existentes.
* Espaço físico: para viabilizar a criação de novos leitos UTI COVID-19 seria necessário o fechamento de outras unidades, o que implicaria na redução de disponibilidade de internação para pacientes oriundos das cirurgias eletivas SUS (oncologia, neuro, geral, etc.) comprometendo a realização das mesmas por diversos meses.
* Estoque de medicamentos: o cenário no Estado e no País é de dificuldade na compra de medicamentos para utilização em pacientes internados especialmente em pacientes com COVID-19. O HCB possui estoque de medicamentos suficiente para garantir o atendimento correspondente aos leitos disponíveis para COVID-19 por um período estimado de 30 dias considerando apenas os leitos atuais.
É importante mencionar que a criação de novos leitos com a respectiva habilitação perante o Ministério da Saúde torna referidos leitos aptos ao atendimento de pacientes oriundos de qualquer município do Estado.
Os leitos disponibilizados pela Região 27 – Cachoeira do Sul se mostraram, até o momento, suficientes para o atendimento dos pacientes da nossa região.
Em relação à classificação em Bandeiras, também são itens que compõe a média final: internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), pacientes COVID-19 em leitos clínicos, casos ativos COVID-19 (pacientes ainda não recuperados) e projeção de óbitos. Estes são índices que dependem da evolução dos casos e da própria doença de cada município que compõe a região.
Cumpre reiterar o modelo de Distanciamento Controlado e classificação em bandeiras determinando o formato de abertura das atividades econômicas é de responsabilidade do Estado. Seguiremos apresentando manifestações e recursos quanto à classificação, quando verificada a possibilidade de discussão quanto a algum dos itens.
O Poder Público Municipal seguirá adotando todas as medidas de combate e enfrentamento ao COVID-19 para que Cachoeira do Sul possa manter o funcionamento das atividades comerciais, industriais e de prestação de serviços, com as devidas precauções necessárias à saúde coletiva, neste momento.

A prevenção individual continua sendo fundamental e substancial no enfrentamento ao COVID-19. Por isso, o cumprimento das medidas sanitárias de distanciamento social e higienização pelos cidadãos é de extrema relevância.
Entendemos que estas são informações pertinentes para conhecimento da população cachoeirense e acompanhamento quanto à situação da Região 27, em que está incluído nosso Município, perante o Distanciamento Controlado do Estado.
Cachoeira do Sul, 16 de julho de 2020.

LUCIANO MORSCHEL – Superintendente do HCB
SERGIO GHIGNATTI – Prefeito

Advertisement