De viagem para o Uruguai, churrasqueiros da Bahia fazem assado em Cachoeira

Por 27 de julho de 2022

Recepcionados pelo médico Clóvis Campos e pela produtora rural e jornalista Ana Pozzobon, trio especializado na arte da gastronomia do fogo preparou iguarias que mesclam a cultura gaúcha com as tradições dos países da bacia do Prata / Fotos e vídeo: Piromaníacos/Divulgação

 

Churrasqueiros da Bahia levaram na noite desta terça-feira (26) a arte da gastronomia do fogo para a Granja Roesch, na localidade de Porteira Sete, interior de Cachoeira do Sul. Os mestres churrasqueiros Otávio Morandi e Alex Bastos e o entusiasta do mundo do churrasco Davi Gomes estão de viagem para o 7º Frontera – Festival Binacional de Enogastronomia, que acontece entre esta quarta-feira (27) e sábado (30), em Santana do Livramento e Rivera, fronteira do Brasil com o Uruguai. No meio do caminho, eles visitaram o município a convite de um casal de amigos cachoeirenses, o médico Clóvis Campos e a produtora rural e jornalista Ana Pozzobon.

Durante o encontro desta terça-feira, o trio apresentou uma iguaria tipicamente uruguaia e argentina, a molleja, ou timo do boi, uma glândula do sistema imunológico bastante apreciada nos países da bacia do Prata. A capa do contrafilé também entrou no cardápio da noite. “A nossa ideia é que esse seja o primeiro passo de uma iniciativa de valorização do turismo rural e gastronômico. Cachoeira do Sul tem um potencial enorme pela sua tradição na produção de gado de corte. Além disso, está situada bem no centro do Rio Grande do Sul, faz parte do bioma pampa. Isso merece ser valorizado com ações maiores nesse sentido”, analisa Otávio Morandi, gaúcho de Porto Alegre que por anos residiu em Salvador (BA).

“Cachoeira do Sul tem tudo para ser um polo de turismo rural. Nosso município é referência na produção de ovinos. É preciso olhar para frente. Se cada um dos proprietários rurais fizer um roteiro e começar a disseminar esse tipo de ação para fortalecer o turismo rural, Cachoeira do Sul passa a ter enorme visibilidade”, complementa Ana Pozzobon. “Cachoeira do Sul é um centro imperdível pela sua tradição na produção de carnes e também na cutelaria. Queremos que esse seja o primeiro passo de vários roteiros que nos trarão de volta a Cachoeira pelos próximos anos. O carinho com que somos recebidos cada vez que passamos por esta terra é o que há de mais valioso. É isso que nos faz sair para tão longe e ficar distantes da nossa família”, destaca o churrasqueiro Davi Gomes. Nesta quarta-feira, o trio visitou o cuteleiro Sandro Boeck, no Bairro Marina, zona norte da cidade, onde um assado rápido foi preparado com a presença do cantor Jairo Lambari Fernandes.

De Cachoeira do Sul, os churrasqueiros seguem por um roteiro de assados que até sexta-feira (29) passa por Dom Pedrito e, no Uruguai, em La Bordona e Tranqueras, que ficam no Departamento de Rivera. No 7º Frontera – Festival Binacional de Enogastronomia, o trio vai estar no sábado (30) com uma estação de assados apresentando o “asado con coero lonjeado”, uma iguaria extremamente tradicional e antiga no Uruguai, preparada em parceria com um grupo de churrasqueiros uruguaios.

Os churrasqueiros Otávio Morandi, Alex Bastos e Davi Gomes fazem parte do grupo Piromaníacos e da co-working Fire Colab, que integram apaixonados pela gastronomia do fogo de várias partes do mundo em roteiros e viagens gastronômicas em torno do universo do churrasco.