Convênio Corsan e Unisc: projeto no Piquiri promete ser solução hídrica

Por 3 de outubro de 2021

A Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) e a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) assinaram um termo de cooperação com o objetivo garantir água potável de qualidade para um maior número de pessoas. Através da parceria, será ampliado um projeto já desenvolvido na universidade, que reduz o nível de flúor na água de poços artesianos que abastecem alguns locais da região. A previsão é implantar um projeto-piloto ampliado no começo do próximo ano no Piquiri.

Ainda que o flúor seja um importante agente inibidor da cárie, em níveis elevados é responsável por uma doença em crianças denominada fluorose dental, bem como causa outros danos à saúde. O projeto desenvolvido por professores da Unisc já realiza o processo de desfluoretação de águas em comunidades locais desde 2020 e, agora, irá ganhar maior dimensão, passando a atuar em mais localidades.

O Sistema Automatizado para desfluoretação de águas subterrâneas que será utilizado, em resumo, se trata de filtros que fazem o tratamento do flúor na água. “O saneamento e a qualidade da água é a prioridade do nosso governo. Por isso, hoje comemoramos o convênio entre Unisc e Corsan, que participamos enquanto testemunhas. Torcemos que dê muito certo, pois qualidade de água significa saúde”, enfatizou o secretário-adjunto de Obras e Habitação do Governo do Estado, Giovane Wickert, .

A implementação do sistema deve viabilizar o combate contra problemas com excesso de flúor. “Prefeituras e cidadãos trazem amostras de água para avaliação e percebemos número excessivo de flúor. Em 1994, quando surgiu nossa Central Analítica, começamos a analisar o abastecimento da região e esse apontamento vem desde lá. Após muitas pesquisas desenvolvemos essa solução que é economicamente viável”, reforçou o diretor de Pesquisa e Pós-graduação da Unisc, Adilson Ben da Costa.

Já o diretor do setor Comercial, Inovação e Relacionamento da Corsan, Jean Bordin, destacou a responsabilidade na utilização de recursos naturais. “A união de esforços, valorizando a pesquisa e desenvolvimento da Universidade para a desfluoretação das águas subterrâneas, atende ao modelo da Corsan de promover inovação tecnológica para a melhoria dos processos, com o uso responsável dos recursos naturais e a promoção da qualidade de vida à população”, ressaltou.

Com prazo de execução de 24 meses, a iniciativa tem apoio da Secretaria Estadual de Obras e Habitação (SOP). Também presente, o titular da pasta, José Stédile, abordou os reflexos na saúde. “O abastecimento de água se reflete diretamente na saúde pública e na dignidade humana. Somos parceiros de todas as ações que tenham como propósito melhorar a vida das pessoas”, evidenciou o secretário.

Realizada no auditório central da Unisc, cerimônia contou ainda com a presença da reitora da Unisc e diretora da Associação Pró-Ensino em Santa Cruz do Sul, Carmem Lucia de Lima Helfe, e outras autoridades. Sistema

Os primeiros protótipos do sistema em residências já foram implementados em Restinga Seca e encaminhados para Novo Xingu. Estes modelos iniciais eram voltados para água de consumo direto, utilizada para beber ou preparar alimentos. No momento atual, o projeto ganhou novas dimensões sendo automatizado e atendendo grandes demandas, pois é voltado para a distribuição: a água sai do poço para o reservatório e, antes de chegar na residência, é tratada. Para abastecer comunidades, o sistema exige mais tecnologia e investimento. O superintendente regional da Corsan, José Roberto Epstein, prevê orçamento médio de R $500 mil.

Segundo a Reitora da Unisc, Carmen Lúcia de Lima Helfer, “a pandemia reforçou a certeza de que investir em saúde é essencial. Aqui na Universidade colocamos a ciência, a pesquisa e a solidariedade à serviço da solução de problemas da comunidade. Essa iniciativa, em parceria com a Corsan, é um resultado disto. Inclusive, recebemos recentemente a notícia de que a nossa Central Analítica é a maior do Brasil, nos motivando ainda mais a seguir trabalhando e pesquisando para buscar a qualidade da água e de vida na região”.