Constantes reparos não resolvem a situação da Ponte do Fandango

Por 15 de novembro de 2021

Algo mais necessita ser feito na Ponte que é a principal ligação para a região. Fotos: Divulgação.

 

A liberação parcial para tráfego de veículos leves na Ponte do Fandango sobre o Rio Jacuí em Cachoeira do Sul não significa  que os transtornos causados por uma rachadura na base de um dos acessos ao vão principal estão resolvidos. Pelo contrário, muito ainda precisa ser feito em termos de obra, manutenção e vistoria na ponte que tem 60 anos de existência. 

O escoramento realizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em uma das vigas – onde foi encontrada a rachadura – foi uma alternativa provisória. Os cachoeirenses e região não podem ficar de braços cruzados. Muito ainda precisa ser feito para se ter garantia de segurança na Ponte do Fandango, um cartão postal de Cachoeira do Sul. 

A fissura na ponte foi descoberta no dia 29 de outubro pela constatação de pessoas que cruzaram pela ponte e notaram desnível no leito da travessia. No mesmo dia foi decretada a interrupção para o trânsito pela Defesa Civil Municipal numa decisão acertada. De lá para cá já se ouviu de tudo: implantação de balsa no Rio Jacuí, conserto do vão quebrado, construção de uma nova ponte e prejuízos incalculáveis. 

EMERGÊNCIA

Diante do contexto, a Prefeitura decretou situação de emergência. O levantamento feito pela Defesa Civil para embasar o decreto, apontou um prejuízo econômico público estimado de R$ 396.844,08. Para se ter uma ideia, somente no sistema de limpeza urbana e de recolhimento e destinação do lixo o custo era de R$ 158.681,80. Já o prejuízo econômico privado foi estimado em R$ 83.748.500,00. A data do decreto é do dia 8 deste mês. 

UMA NOVA PONTE

O prefeito José Otávio Germano disse que vai solicitar ao governo federal uma nova ponte para Cachoeira do Sul. Por ser conhecedor dos trâmites em Brasília, José Otávio sabe que não basta um simples pedido. Esta solicitação tem que estar reforçada por ampla mobilização regional e com o apoio de parlamentares. Precisamos urgentemente de um projeto para a nova ponte. Onde será construída? Vai ser perto ou longe da atual, vai acessar a Volta da Charqueada cruzando pela várzea Castagnino\Porteira Sete?. O levantamento técnico é que tem que dizer qual a melhor opção.  O certo é que Cachoeira tem que se concentrar no pedido da nova ponte, não esquecê-lo e cobrar fortemente do governo uma solução. 

ATENÇÃO

Em 2018, Cachoeira do Sul e região enfrentaram um transtorno que foi a interrupção da Ponte do Fandango para revitalização da estrutura metálica do vão central. Foi uma obra que durou quase cinco meses num investimento do governo federal, através do Dnit, de cerca de R$ 9 milhões. A situação do vão central que apresentava constantemente rachaduras e crateras foi resolvida. Mas  o restante da estrutura da ponte não teve a devida atenção. A justificativa apresentada agora é de que uma travessia de concreto/metálica de 60 anos tem dificuldades para suportar veículos gigantes com capacidade superior à estimativa feita em 1960. Então, algo precisa ser feito. Nova ponte já ou um conserto geral na Ponte do Fandango, principal ligação pela BR-153 entre a BR-290 e a RST-287.  

BALSA

Assim como em 2018, novamente o serviço de travessia por balsa no Rio Jacuí foi buscada como alternativa para transportar veículos pesados entre a Praia Nova e a Rua Moron. Só que o baixo nível do Rio Jacuí inviabilizou momentaneamente o serviço de balsa. Resta esperar. 

Enquanto isto, caminhões bitrens que chegam ou saem de Cachoeira do Sul transportando grãos têm que utilizar rotas alternativas. O mesmo caminho tem que ser seguido por  ônibus e demais veículos pesados. 

As alternativas são: 

Porto Alegre – Cachoeira do Sul: Pela BR-290/RS ir até a BR-471/RS, em Rio Pardo, depois em Santa Cruz do Sul seguir pela RST-287 até Novo Cabrais a BR-153/RS.

Cachoeira do Sul – Fronteira Oeste: Sair pela BR-153/RS seguir até RST-287 em Novo Cabrais e em Santa Maria pegar a BR-158/RS e retornar à BR-290/RS em Rosário do Sul.

Cachoeira do Sul – Porto de Rio Grande: Quem sai de Cachoeira do Sul e vai para o Porto de Rio Grande deve ir até Santa Maria e pegar a BR-392/RS.

A HISTÓRIA

A inauguração da  Ponte do Fandango aconteceu no ano de 1961. A construção esteve a cargo de uma firma francesa. A professora Miriam Ritzel no seu “históriadecacheiradosul.blogspot.com” relata que em 1912 houve um movimento de lideranças comunitárias em torno da construção de uma ponte,  que transpusesse o Rio Jacuí. Na época foi considerado um sonho. No entanto, em 1950 o então prefeito Liberato Salzano Vieira da Cunha foi ao governo com um pedido oficial para a construção de uma ponte. Na época, o ministro da Viação, Clóvis Pestana, veio a Cachoeira do Sul e garantiu a construção da travessia. Hoje a Ponte do Fandango é de importância vital para a região central e demais municípios do RS. Só que necessita receber a devida atenção sob pena de constantes interrupções para o trânsito com prejuízos para os setores da educação, transporte, agronegócio, pecuária, comércio, indústria e prestação de serviço e demais atividades produtivas.