Conheça a classificação de usuários de drogas

Por 18 de maio de 2021

Conheça a classificação de usuários de drogas

Um dos principais cuidados no momento de tratar sobre o tema de drogas é entender a distinção entre usuários e dependentes. Embora o consumo de substâncias ilícitas atinja milhões de pessoas ao redor do mundo, nem todos são submissos a elas.

O usuário de drogas é caracterizado como alguém que faz uso eventual de entorpecentes (muitas vezes movido por curiosidade, modismo ou pressão social), porém sem tornar isso parte de sua rotina — o consumo, dessa forma, não afeta sua vida pessoal, profissional e a forma como o indivíduo leva a vida.

Por outro lado, um dependente químico não possui controle sobre o consumo de substâncias psicoativas. Sua saúde física e mental, além da vida pessoal e profissional são impactadas negativamente pela doença (passível de tratamento em uma clínica de recuperação).

Posteriormente, um usuário pode vir a se tornar um dependente químico, em conformidade com as características de seu envolvimento. Não ocorre em todos os casos, então é possível identificar os diferentes tipos de usuários de drogas.

O usuário experimentador ou eventual

O usuário experimentador é aquele que, por pressão de um grupo, curiosidade ou por qualquer outro motivo, experimenta uma ou mais drogas em um ambiente favorável. Pode ser o exemplo de um jovem ou adolescente que usa maconha na companhia de amigos em uma festa, pela facilidade em que a droga é passada.

Na maioria das vezes, salvo em casos especiais, o contato com as substâncias não volta a se repetir.

O usuário ocasional ou recreativo

Em situações específicas, esse usuário utiliza uma ou mais substâncias (quando disponíveis). Por não ocorrer dependência, o consumo não afeta negativamente a vida do usuário. Entretanto, é importante estar atento caso os sintomas comecem a aparecer. Pode indicar o início de dependência e necessidade de internação em uma clínica de reabilitação em Goiás.

O usuário dependente

O consumo é frequente — pode ocorrer entre três, quatro ou mais dias da semana. Um dos principais sintomas é o mal estar físico e mental causado pela eventual falta das substâncias no organismo.

Aqui, o usuário tem fortes impulsos de consumir a droga, apesar de suas consequências negativas. Com a dificuldade de controlar o consumo, há o aumento da tolerância (levando o indivíduo a administrar doses maiores) e a sintomas de abstinência.

O usuário crônico

Nesse estágio, o usuário crônico vive pela droga e somente por ela. Usa todos os dias, diversas vezes. Com as relações pessoais e profissionais prejudicadas, o usuário passa a ser isolado e marginalizado. Pode chegar a atitudes extremas para conseguir a droga, até de forma ilegal.

Ainda que a maioria de internações em clínicas de reabilitação seja voluntária, há casos em que internações involuntárias são realizadas por decisão da família, com o objetivo de frear atitudes ilegais e que podem causar perigo ao usuário.

O usuário traficante

O usuário traficante também é responsável por negociar substâncias psicoativas para terceiros, a fim de suprir o próprio consumo, conseguir status social e outros motivos — podendo levar pessoas próximas, como amigos, companheiros, familiares etc, ao uso de drogas.

Embora os termos sejam facilmente confundidos, saber a distinção entre eles é importante no momento de oferecer ajuda e tomar as medidas necessárias para restabelecer a saúde e a qualidade de vida através de um tratamento especializado.