Como prevenir o uso de drogas na adolescência?

Por 18 de maio de 2021

Como prevenir o uso de drogas na adolescência?

O abuso de múltiplas drogas e substâncias psicoativas é uma realidade que afeta a vida de milhares de pessoas ao redor do mundo, especialmente de jovens. Apesar de crônica e incurável, é uma doença passível de tratamento em clínica de recuperação para dependentes químicos. Com o auxílio de profissionais especializados, é possível superar o vício e ser reintegrado na sociedade.

Diferentes características vão determinar o tipo de terapia que o paciente vai receber — a quantidade e a frequência de uso, se existe a presença de problemas de ordem psicológica e quaisquer outros fatores. Ademais, não é incomum relatos de dependentes que começaram a consumir na infância.

A dependência química entre menores de idade nos mostra uma facilidade no acesso às drogas ilícitas no Brasil, guiados por fatores como busca por pertencimento, desejo de fuga de situações de bullying, influência familiar e outras condições que impactam diretamente a realidade do jovem.

É importante entender o contexto pessoal de cada adolescente e os aspectos biológicos e sociais que levaram a droga a ser introduzida em sua vida. A prevenção primária consiste em um conjunto de ações destinadas a evitar o contato com substâncias que podem levar à dependência.

Por isso, elaboramos algumas delas para te ajudar a entender melhor o assunto.

A família como principal base de apoio

Não há dúvidas que os pais são a primeira referência comportamental de uma criança, então é comum que hábitos e atitudes sejam copiadas por eles. À vista disso, é fundamental para o jovem ter um exemplo de responsabilidade e prudência dentro de casa, vindo de alguém que ele possui vínculos fortes.

A ausência de pais na infância e/ou adolescência influencia diretamente no desenvolvimento dos filhos e causa feridas emocionais que podem levá-lo ao consumo de entorpecentes para fugir da realidade. Em razão disso, a proximidade e o contato entre pais e filhos nos primeiros anos de vida é essencial.

Ademais, não se deve ter medo de abordar o assunto e os malefícios que ele traz a saúde e a vida de uma pessoa, podendo levá-los até a uma internação involuntária. É importante conversar sobre o tema abertamente, com seriedade e sensibilidade — se ele não entender pela família, entenderá através de outras pessoas.

Impor limites é necessário

Impor limites nada mais é do que mostrar ao jovem até onde ele deve ir. E está longe de ser crueldade. O adolescente ainda é um indivíduo em formação, e impor limites a ele desde a infância nada mais é do que uma forma de demonstrar preocupação e zelo.

Ir buscá-lo naquela festa de amigos, conhecer suas amizades, entender sua rotina e os locais que frequenta (tudo de forma que não o sufoque e lhe dê privacidade) é um esforço necessário que a família deve fazer para se manter ativa nas atividades dos filhos.

O papel da escolha na prevenção à dependência química

A escola desempenha um papel fundamental na formação de qualquer ser humano — e sua presença precisa ser ainda mais forte na prevenção ao uso de drogas. Prevenção essa que deve ser iniciada ainda na Educação Infantil, por meio de atividades que conscientizem sobre os danos causados pelo vício e a importância de viver uma vida saudável.

E apesar de existir uma normalização na sociedade sobre o consumo de álcool e nicotina (pode se tratar de substâncias lícitas, também passíveis de tratamento em clínica de recuperação para alcoólatras, sua prevenção também é essencial e pode ser abordada em exercícios interdisciplinares, provocando uma reflexão nos alunos sobre seus malefícios.

O trabalho de prevenção, sendo abordado de forma correta, deve ser contínuo e presente todos os dias na rotina de crianças e adolescentes. Em conjunto com a família, a escola é responsável por proporcionar um ambiente saudável e de desenvolvimento, de modo a formar adultos responsáveis e capazes de tomar boas decisões.