Como a Polícia desvendou esquema ilegal de venda de rifas

Por 16 de julho de 2021

A Polícia Civil de Cachoeira do Sul dá continuidade às investigações em torno de um esquema ilegal de venda de rifas que foi desmantelado na cidade na última quarta-feira (14). O esquema foi descoberto depois que policiais descobriram que as rifas não tinham registro na Caixa Econômica Federal e, por isso, não poderiam estar sendo comercializadas.

A forma ostensiva como vendedores e vendedoras faziam abordagens no corpo a corpo nas ruas também chamou a atenção. Com um discurso quase que de imploração, equipes abordavam pedestres em pontos de maior movimentação, como frentes de supermercados, paradas de ônibus e ruas comerciais, e já com a caneta na mão, utilizavam de todas as artimanhas possíveis para convencer as pessoas a colaborarem com uma causa supostamente  em prol de uma criança com necessidades especiais.

Com a evolução das investigações, a Polícia Civil descobriu que a criança, de fato, existe. É moradora da Região Metropolitana e seria vinculada a uma associação também da região voltada a pessoas com deficiência. Nas rifas, a criança figura numa foto ainda bebê, mas atualmente está com 4 anos e em tratamento contínuo. A criança teria vínculo com a entidade através da mãe e da avó, que são investigadas de participação no esquema sob suspeita de arrecadação ilícita de valores.

COMO FUNCIONAVA O RATEIO

No curso das investigações, a Polícia descobriu ainda que 50% dos valores arrecadados ficariam com as próprias equipes de vendas. A outra metade ficaria com um gerente do esquema, e dessa parcela apenas 15% seriam repassados ao responsável pela instituição, que também está sob investigação. “Esse dinheiro não chega em criança alguma”, revelou uma fonte ouvida pelo Portal OCorreio.

Em Cachoeira do Sul, a Polícia apreendeu na última quarta-feira depósitos bancários e blocos de rifas, a quantia de R$ 2,1 mil, cinco aparelhos celulares e um Renault Sandero. Um homem, três mulheres e uma adolescente, todos residentes na região metropolitana, foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

Também durante a semana, foram cumpridas diligências pela Polícia Civil em Cachoeirinha. Pessoas atuantes no mesmo esquema também já foram abordadas em outras cidades do interior do Rio Grande do Sul. As investigações da Polícia Civil apuram práticas como estelionato e organização criminosa.

Na ação que desmantelou o esquema em Cachoeira do Sul, participaram equipes da 1ª Delegacia de Polícia, da 2ª Delegacia de Polícia e do Serviço de Investigação Policial e Análise Criminal (Sipac) da 20ª Delegacia Regional de Polícia do Interior (20ª RPI).

Rifas sob suspeita não possuem sequer registro na Caixa para poderem ser comercializadas / Foto: Polícia Civil/Divulgação