Comissão de Servidores da Prefeitura cobra Diário Eletrônico

Por 19 de dezembro de 2018

 

Comissão de Servidores não abre mão de que a Prefeitura implante o Diário Oficial Eletrônico. Foto: Divulgação

 

A comissão de servidores públicos de Cachoeira do Sul cobra a implantação do Diário Oficial Eletrônico e apresentam uma lista de medidas, que consideram essenciais para que exista na prática uma economia em todos os setores do Governo Ghignatti. No entendimento dos servidores, não existe a necessidade da Prefeitura utilizar publicação impressa para divulgar os atos do Executivo. Além disso, as estimativas são de que o governo gasta cerca de R$ 500 mil/ano em publicações impressas.

Na quarta-feira (12), integrantes da comissão se reuniram na sede do Sindicato dos Funcionários (Sincasul) com os vereadores Ronaldo Trojahn (PSB) e Telda Assis (PT). De acordo com a comissão, os demais vereadores foram convidados, mas não compareceram.

Por meio de documento, a comissão de servidores salienta que também tem visão e, por isto, pode sugerir economia na Prefeitura, porque faz parte de um segmento gerador de renda na comunidade.

As medidas sugeridas pela comissão estão:

– Unificação de algumas secretarias, transformando secretários em diretores, modelos adotados por municípios vizinhos;

– Diminuição de CC’s e FGs, pois conforme as últimas quatro súmulas houve um significativo aumento de incorporações de FGs;

– Criar critérios, baseado na construção de um organograma, com definições da função de cada FG e CC.

– FGs de chefias. Devem permanecer desempenhando sua função do respectivo FG, em acordo com o Regime Jurídico Único. Assim será evitada a multiplicação dos custos com FGs.

– Criar o Departamento de Recursos Humanos, composto por uma equipe formada por técnicos multifuncionais.

– Criar imediatamente o Diário Eletrônico.

Fonte: Comissão de Servidores Municipais