Cleber e Moro juntos em convenção do Podemos

Por 4 de dezembro de 2021

Crédito: OC/Reprodução

O ex-juiz e pré-candidato ao Planalto, Sérgio Moro, veio a Porto Alegre neste sábado para a convenção estadual do Podemos. O encontro foi realizado pela manhã e contou com a participação do candidato do partido nas eleições municipais de 2020 e ex-vice-prefeito, Cleber Cardoso, além do vereador Dudu Moyses e seu assessor, Vitor Baisch.  Ainda estiveram presentes a presidente nacional, deputada federal Renata Abreu (SP), e o líder do partido no Senado, Lasier Martins. Ambos foram recepcionados pelo presidente estadual, Everton Braz.

Cleber – que integra a executiva estadual do Podemos – participou do evento realizado no Teatro Bourbon Country, na zona Norte de Porto Alegre, ao lado do pré-candidato na disputa presidencial em 2022:

 

 

Após a convenção estadual, o pré-candidato à presidência da República pelo Podemos abordou a operação Lava-Jato em conversa com jornalistas. “Nós tivemos ali a descoberta dos maiores escândalos de corrupção da história e é inegável. Podem receber informações desviadas, podem tentar falsas negativas, mas a população brasileira sabe que a Petrobras foi roubada para um projeto de poder. A Lava-Jato interrompeu isso”, exaltou Moro. “Foi uma conquista do povo brasileiro, que saiu às ruas em milhões, em 2015 e 2016, protestando contra a corrupção”, completou.

 

 

Ao lado dos representantes de Cachoeira do Sul, Moro cobrou posicionamento do presidente Jair Bolsonaro sobre a execução da pena em segunda instância. “Não mexeu um dedo para trabalhar pela manutenção da execução em segunda instância. O presidente tem que esclarecer qual é a posição dele”, disparou.

 

 

Ainda no ato, foram confirmadas as filiações de lideranças, incluindo as do vereador Maurício Marcon, de Caxias do Sul, e do deputado federal Maurício Dziedricki, que obteve a carta de anuência da direção nacional para sua desfiliação do PTB.

 

 

Os próximos compromissos de Moro incluem o lançamento do livro “Contra o sistema da corrupção”, em que “revela bastidores inéditos da Lava Jato, narra sua passagem pelo governo Jair Bolsonaro e se posiciona a respeito de temas fundamentais para o país”. O lançamento está programado para quatro capitais. O primeiro evento foi no dia 2, em Curitiba. Neste domingo, em Pernambuco; no dia 7, em São Paulo; e no dia 9, no Rio de Janeiro.

 

 

Antes do evento, o pré-candidato esteve com o governador Eduardo Leite (PSDB). “Foi uma boa conversa sobre o futuro do Brasil. Discutimos economia, combate às desigualdades e a importância de construir convergências políticas para enfrentar os problemas da vida real dos brasileiros”, avaliou o tucano. “Canal aberto para ajudar a criar uma alternativa para o nosso país”, acrescentou Leite.

 

May be an image of 3 people, people standing and indoor

Podemos quer Cleber para deputado

O integrante da executiva do RS já declarou, logo depois do pleito municipal, sobre seu afastamento da política. Conforme Cleber, seu foco passou a ser nos seus negócios. Com duas lojas abertas -além de Cachoeira do Sul, uma também em Candelária, o empresário planeja mais duas unidades no decorrer de 2022. No entanto, o Podemos ventila seu nome para concorrer a deputado (estadual ou federal) nas próximas eleições. “O ‘hoje’… O ‘agora’… Tenho certeza que não quero e não irei. De fato, não quero mesmo”, enfatizou Cleber. “O futuro, a Deus pertence”, destacou.

 

Protesto

O começo da convenção estadual do Podemos no Rio Grande do Sul foi marcada por um protesto contra o ex-ministro. Um grupo fez um ato contra Moro, com cartazes. A manifestação durou menos de 10 minutos.

As pautas dos manifestantes incluíram a atuação do ex-ministro na Operação Lava Jato e a avaliação que o presidenciável representa uma política econômica de direita.

A presença dos manifestantes gerou um princípio de confusão com os apoiadores de Moro. O ex-ministro ainda não estava no local, porque antes da convenção, Moro teve o encontro com o governador Eduardo Leite.