Casos de animais soltos em via pública não param em Cachoeira

Por 26 de junho de 2021

Animais são encontrados constantemente soltos em via pública. Fotos: Divulgação

O número de animais soltos pelas ruas e em rodovias em Cachoeira do Sul aumentam consideravelmente o que leva a Secretaria do Meio Ambiente a se manter em constante alerta. Os casos preocupam. Ainda mais quando animais invadem as rodovias. Neste sábado (26) pela manhã, mais um flagrante: a equipe de fiscalização foi acionada para recolher cinco vacas, que estavam em meio à estrada da Volta da Charqueada, onde é intenso o tráfego de caminhões em direção à empresa Granol.

As ocorrências são constantes. No dia 15 deste mês o registro de um acidente com vítima. Uma vaca em meio à BR-153, no Capão da Cruz, provocou a morte de uma motociclista. Além disso, existe a situação de maus tratos, conforme o secretário do Meio Ambiente, Geraldo Fogliarini.

Somente neste mês, segundo a Secretaria do Meio Ambiente, foram 16 ações envolvendo animais de grande porte como equinos e bovinos. “Recolhemos oito cavalos que estavam em via pública e ainda identificamos em mais outras ocorrências maus tratos”, disse Fogliarini, acrescentando que os proprietários foram identificados e responsabilizados por meio de multa num trabalho com o apoio da Brigada Militar.

O secretário salientou que se o proprietário é identificado durante a ocorrência, ele assina um Termo Circunstanciado com a Brigada Militar onde se responsabilidade pela posse e a responsabilidade dos animais e ainda autuado pelo descuido da guarda do animal.

ATENÇÃO

No caso do proprietário não ser identificado, os animais são apreendidos e Prefeitura fica como fiel depositário. Assim, os donos somente poderão resgatar esses animais após liberação pela Brigada Militar com a quitação de multa e demais custos de tratamento. Os animais apreendidos pela fiscalização municipal são encaminhados para o Centro de Proteção Animal (Cempra), localizado no distrito de Três Vendas.

IMPORTANTE

– Em casos de reincidência, por parte do proprietário, ele perde o direito de resgatar o animal.

– Em casos de maus tratos, o animal é apreendido e tratado. Os custos são cobrados do proprietário que fica impedido de resgatar o animal.