Câmara homenageia Escola do HCB pelos seus 50 anos

Por 5 de dezembro de 2019

 

 

Sessão solene destacou a importância da Escola do HCB. Fotos: Câmara de Vereadores

 

Os 50 anos da Escola de Saúde do Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), de Cachoeira do Sul, foram lembrados pela Câmara de Vereadores, nesta quarta-feira (4) à noite, em sessão solene realizada no auditório do Sicredi.

A Escola HCB, referência em educação técnico profissionalizante, teve autorização para funcionamento concedida através da Portaria nº 20428 de 18/11/1969. A então “Escola de Auxiliares de Enfermagem” teve início em março de 1970, tendo como objetivo principal preparar mão de obra para o Hospital de Caridade e Beneficência, pois na época, não havia pessoal qualificado na área de enfermagem.

Ao longo desses 50 anos, a Escola HCB já formou vários profissionais, como auxiliares de enfermagem, técnicos de enfermagem, técnicos em radiologia, técnicos em administração em saúde, técnicos em prótese dentária e técnicos em segurança do trabalho.

O propositor da homenagem, vereador Nelson Azevedo (Cidadania), destacou a atuação dos estudantes e profissionais formados pela instituição. “Os alunos participam de atividades diárias de aulas teóricas na escola, realizam estágios no HCB, na Secretaria de Saúde, nas Unidades Básicas de Saúde e em empresas e, ainda, participam em vários eventos na comunidade, como campanhas de vacinação, Jornadas Rotárias, atendimentos de primeiros socorros, verificação de pressão arterial e teste de glicose e palestras sobre temas de saúde na comunidade”, afirmou.

Já a diretora da Escola, Maiara de Oliveira Carvalho, resgatou alguns momentos da história da instituição. “Estamos falando de 50 anos, de mais de oito mil pessoas que passaram pelos bancos escolares ajudando a construir essa história de sucesso. A Escola nasceu da necessidade de qualificar o quadro de profissionais da enfermagem do HCB. Em 1968, a Escola foi idealizada e em 18 de novembro de 1969 foi autorizado o seu funcionamento”, salientou.

Ela disse que segundo as atas que registram a história, os médicos e profissionais atuavam voluntariamente como professores na escola, o orçamento era pequeno, mas com boa vontade e muita determinação as aulas continuaram e, a cada ano, e novos ingressos de aluno aconteciam. Ao longo desses 50 anos, a Escola de Educação Profissional de Saúde já formou 3.448 alunos nos cursos técnicos e mais de 5.500 pessoas nos cursos livres.