Cachoeira tem maior queda do RS em ranking de competitividade

Por 22 de novembro de 2021

O Centro de Liderança Pública divulgou a atualização do Ranking de Competitividade dos Municípios com a análise da capacidade competitiva das 411 cidades brasileiras com mais de 80 mil habitantes, a partir de 65 indicadores, distribuídos em 13 pilares temáticos e três dimensões – instituições, sociedade e economia. Cachoeira do Sul é o município gaúcho com a maior queda em comparação ao levantamento de 2020. Com recuo de 70 posições, Cachoeira passou para o 287º lugar no ranking geral do país.

Confira mais dados apurados sobre o Município:

ECONOMIA

PILAR POSIÇÃO DELTA SCORE
288º  25 41.65
277º  8 19.93
213º  198 25.97
282º  116 45.13

INSTITUIÇÕES

PILAR POSIÇÃO DELTA SCORE
315º  50 37.35
146º  12 70.41

SOCIEDADE

PILAR POSIÇÃO DELTA SCORE
245º  33 58.5
248º  11 72.31
216º  35 31.56
231º  22 48.31
355º 73.81
267º  31 64.31
337º 55.53

COLOCAÇÃO GERAL NO SUL

POSIÇÃO GERAL DELTA SCORE
1. FLORIANÓPOLIS – SC  1 64.58
2. CURITIBA – PR  1 63.74
3. PORTO ALEGRE – RS  2 62.49
4. JARAGUÁ DO SUL – SC 10º  18 61.27
5. MARINGÁ – PR 17º  5 59.86
6. BLUMENAU – SC 18º  17 59.65
7. BALNEÁRIO CAMBORIÚ – SC 21º  5 59.32
8. JOINVILLE – SC 26º  20 58.86
9. CRICIÚMA – SC 27º  54 58.85
10. LAJEADO – RS 30º  7 58.66
11. FRANCISCO BELTRÃO – PR 31º  23 58.4
12. CAXIAS DO SUL – RS 34º  13 58.09
13. CHAPECÓ – SC 35º  33 58.02
14. LONDRINA – PR 37º  5 57.96
15. CASCAVEL – PR 39º  40 57.94
16. ITAJAÍ – SC 40º  13 57.83
17. SÃO BENTO DO SUL – SC 48º  15 57.43
18. TOLEDO – PR 58º  3 57.11
19. PATO BRANCO – PR 63º  22 56.87
20. IJUÍ – RS 64º  1 56.8
21. BRUSQUE – SC 73º  4 56.29
22. CAMPO MOURÃO – PR 77º  51 55.83
23. PARANAVAÍ – PR 78º  9 55.83
24. LAGES – SC 81º  48 55.53
25. UMUARAMA – PR 90º  9 55.23
26. ERECHIM – RS 92º  12 55.22
27. PONTA GROSSA – PR 96º  9 55.02
28. FOZ DO IGUAÇU – PR 97º  9 55.01
29. SANTA MARIA – RS 98º  20 54.95
30. SÃO JOSÉ DOS PINHAIS – PR 103º  49 54.67
31. ARAUCÁRIA – PR 104º  60 54.65
32. SÃO JOSÉ – SC 115º  20 54.16
33. BENTO GONÇALVES – RS 116º  65 54.16
34. PINHAIS – PR 120º  19 54.05
35. TUBARÃO – SC 121º  6 54
36. CIANORTE – PR 123º  4 53.96
37. NOVO HAMBURGO – RS 129º  17 53.72
38. SANTA CRUZ DO SUL – RS 135º  19 53.38
39. APUCARANA – PR 140º  37 53.15
40. SÃO LEOPOLDO – RS 142º  9 53.03
41. GUARAPUAVA – PR 154º  14 52.53
42. NAVEGANTES – SC 155º 52.33
43. PASSO FUNDO – RS 156º  5 52.3
44. CAMBÉ – PR 157º  44 52.24
45. PELOTAS – RS 162º  15 52.05
46. CANOAS – RS 167º  19 51.92
47. CAMPO LARGO – PR 179º  33 51.54
48. COLOMBO – PR 184º  9 51.31
49. FAZENDA RIO GRANDE – PR 189º  44 51.03
50. PALHOÇA – SC 197º  74 50.67
51. CAMBORIÚ – SC 200º  43 50.59
52. GRAVATAÍ – RS 201º  6 50.59
53. ARAPONGAS – PR 211º  80 50.22
54. PARANAGUÁ – PR 215º  11 50.06
55. SAPIRANGA – RS 218º  19 49.63
56. CACHOEIRINHA – RS 238º  12 48.32
57. ESTEIO – RS 242º  48 48.19
58. RIO GRANDE – RS 251º  17 47.8
59. SAPUCAIA DO SUL – RS 253º  35 47.75
60. BAGÉ – RS 270º  3 47.08
61. PIRAQUARA – PR 277º  19 46.77
62. GUAÍBA – RS 280º  1 46.69
63. CACHOEIRA DO SUL – RS 287º  70 46.46
64. ALMIRANTE TAMANDARÉ – PR 291º 46.28
65. ALVORADA – RS 299º  26 45.55
66. SARANDI – PR 312º  36 44.72
67. VIAMÃO – RS 337º  12 43.02
68. URUGUAIANA – RS 350º  36 41.97

Os pilares considerados no levantamento são sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, ambiente, acesso à saúde, qualidade da saúde, acesso à educação, qualidade da educação, segurança, saneamento, inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital humano e telecomunicações.

SOBRE O RANKING

O Ranking de Competitividade dos Municípios é uma ferramenta de grande relevância que chega à sua segunda edição e que visa apoiar os líderes públicos brasileiros nas tomadas de decisão, com foco na melhoria da gestão das cidades.

Por meio da metodologia SEALL, o Ranking dos Estados ganhou uma expansão, com a incorporação de métricas de sustentabilidade. É a oportunidade de fomentar boas práticas para uma competição saudável rumo a justiça, equidade e desenvolvimento sustentável.

São 411 municípios brasileiros analisados (7,38% do universo de municípios), representando os municípios do país com população acima de 80 mil habitantes de acordo com a estimativa do IBGE para o ano de 2020. Em relação à edição anterior do estudo 6 novos municípios passaram a compor o levantamento (Alfenas (MG), João Monlevade (MG), Chapadinha (MA), Vinhedo (SP), Goiana (PE), Três Corações (MG)). Em conjunto, os 411 municípios em análise correspondem a 59,75% da população brasileira (126,52 milhões de habitantes).

Como resultado, a segunda edição do Ranking de Competitividade dos Municípios é composta por 65 indicadores, organizados em 13 pilares temáticos e 3 dimensões: instituições, sociedade e economia. Esta organização é fruto de ampla reflexão ao longo do projeto sobre quais são os temas fundamentais para se analisar a competitividade a nível municipal no Brasil.

OBJETIVOS

  • Incentivar a competição positiva entre os municípios, entendida como a busca dos agentes no município por melhorar o fornecimento de serviços públicos, atrair empresas, trabalhadores e estudantes para ali viverem e se desenvolverem;
  • Permitir a obtenção de um amplo mapeamento dos fatores de competitividade e de fragilidade, direcionando, de forma mais precisa, a atuação das lideranças públicas municipais para planejamento e atuação para aquilo que é prioritário;
  • Valorizar casos de sucesso, promovendo a publicização e inspiração originada pelas boas iniciativas para se aplicar em outras localidades;
  • Ser uma ferramenta para cidadãos avaliarem e cobrarem de forma eficiente o desempenho dos formuladores de políticas públicas;
    Ser um sistema de incentivo para melhoria junto aos líderes públicos e para a sociedade no município;
  • Possibilitar uma comparação simples, direta e concisa, entre localidades, de uma série de atributos institucionais, sociais e econômicos que são comumente de difícil mensuração e avaliação;
  • Construir e disponibilizar uma ferramenta prática de auxílio e mobilização dos atores envolvidos nos processos de formulação e implementação de políticas públicas, tornando-as efetivas e baseadas em dados e evidências;
    Ser uma ferramenta de fomento e apoio à qualificação do ambiente de negócios no município, bem como auxílio ao setor privado no direcionamento de investimentos.

 

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS

O Ranking de Competitividade é uma ferramenta que busca pautar a atuação dos líderes públicos brasileiros na melhoria da competitividade dos seus estados. A partir da análise do conjunto de 10 pilares, o ranking fornece uma visão sistêmica da gestão pública estadual.