Cachoeira quer ser a Capital das Letras

Por 4 de junho de 2022

Advogado e escritor, Mildo Fenner, é o presidente da ACL. Fotos: Divulgação.

Cachoeira do Sul pode se tornar a Capital das Letras? Para os integrantes da Academia Cachoeirense de Letras (ACL), criada oficialmente na noite desta sexta-feira (3), na Sociedade Rio Branco, esta ideia é possível. Diante de um público de cerca de 400 pessoas, em um ato solene, o presidente da ACL, o advogado e escritor, Mildo Leo Fenner, revelou que este projeto entre tantos outros objetivos a serem colocados em prática a partir de agora.

Além da posse da diretoria da ACL, também foram empossados os membros efetivos, honorários, correspondentes e foi feito um reconhecimento aos beneméritos. Todos ligados à cultura ou à produção literária. O jornalista Alexandre Garcia, presente na solenidade, lidera uma lista de cachoeirenses ilustres reconhecidos pela Academia.

Além do presidente, Mildo Fenner, integram a diretoria da ACL, a vice, Clarisse Almeida; a 1ª secretária, Vanessa Csaszar; a vice-secretária, Daniela Cabral; 1º tesoureiro, Tiago Vargas; 2º tesoureiro, Gisele Wolmer e conselheira literária, Mirian Ritzel.

A Academia nasceu no Núcleo de Cultura e depois de cerca de dois anos de estruturação vira realidade. A ACL tem estatuto, CNPJ, hino, bandeira e brazão. “Com a Academia, Cachoeira do Sul resgata sua condição de produção literária, através de cachoeirenses que de uma forma ou de outra se envolvem na arte”, afirmou o presidente, acrescentando que os projetos são muitos. “Vamos desenvolver ações nas escolas, por exemplo, para o incentivo da produção de textos”, salientou.

ATENÇÃO

Em seu pronunciamento, a vice-prefeito, Angela Schuh, destacou a importância da Academia para a cidade e anunciou que em breve, estará em votação na Câmara de Vereadores, o projeto de criação da Secretaria Municipal da Cultura. “Este é um anseio do atual governo, que vai se concretizar para dar mais sustentação às iniciativas culturais da cidade”, observou.