8.8 C
Cachoeira do Sul
sexta-feira, 30 outubro, 2020 - 08:17
Cachoeira do Sul e Região em tempo real
  • Inicio
  • DESTAQUES
  • Cachoeira do Sul tem papel decisivo: Brasil já é quarto maior produtor de noz-pecã

Cachoeira do Sul tem papel decisivo: Brasil já é quarto maior produtor de noz-pecã

Foto: Reprodução

Impulsionado por um mercado rentável e uma crescente demanda global, o Brasil vem subindo no ranking mundial de produtores de noz – pecã . Em 2019, a produção nacional chegou a 3.500 toneladas, o que colocou o país entre os quatro maiores produtores do mundo de noz-pecã , atrás apenas do México, Estados Unidos (EUA) e África do Sul.

O novo mapa mundial da produção de noz-pecã apresentado no ano passado no Congresso do Conselho Internacional de Nozes, realizado na Flórida (EUA), ressaltou a longa distância que o Brasil está dos grandes produtores, no entanto, mostrou a aptidão do país para a produção do fruto. Os números da produção brasileira foram auditados pela Associação Brasileira de Nozes, Castanhas e Frutas Secas (ABNC) e revisados pela Embrapa Pelotas. De acordo com o diretor da ABNC, Edson Ortiz, os números apresentados no Congresso Mundial apontam para um setor em franca expansão. “Acreditamos num aumento de cerca de 1.000 hectares por ano e calculamos aproximadamente oito. mil hectares cultivados com a noz – pecã no Brasil. Esse crescimento é reflexo primeiramente da excelente remuneração que atividade oferece, mas também pela diversificação do negócio agrícola que vem crescendo. Além disso, o trabalho das empresas de beneficiamento com a consultoria e fornecimento de mudas tem sido fundamental”, destaca.

Técnico agrícola por formação e com 30 anos dedicados a pecanicultura, Ortiz fala sobre o setor com a propriedade de quem também ocupa o cargo de diretor da Divinut, produtora de mudas e processadora de noz-pecã.

A empresa de Cachoeira do Sul concentra hoje o maior viveiro do mundo de nogueira-pecã em raiz embalada. São cerca de 400 mil mudas de nogueira-pecã em preparo, estas, geneticamente padronizadas via enxertia. A empresa atua fornecendo mudas, ofertando assistência técnica e no incentivo a novos investidores, trabalho que foi crucial para colocar o Brasil no mapa da produção de noz – pecã . Dos cerca de 5 mil produtores nacionais da fruta, a Divinut conta hoje com cerca de 3 mil cadastrados, atingindo 600 municípios da região Sul.

Para Edson Ortiz, investir no cultivo de nogueiras-pecã é uma atitude que vai render frutos e lucros por muitas gerações. “Uma nogueira-pecã inicia sua produção entre o segundo e o quarto anos e sua longevidade produtiva pode durar mais de 200 anos. Além disso, em alguns casos, a lucratividade pode superar os R$ 50 mil por hectares/ano”, aponta Ortiz.

FRANQUIA AGRÍCOLA

Originária do sul dos Estados Unidos, a pecã precisa de clima frio – com acumulado de horas de frio alternando de acordo com a variedade – para retomar um novo ciclo vegetativo a cada carga de fruta colhida, o que explica sua concentração nacional na região Sul. Disposta a fornecer orientação técnica a quem quiser explorar esse ramo promissor da fruticultura de clima temperado, a Divinut investe na transferência de tecnologia para potencializar o surgimento de novos pequenos e grandes produtores. O sistema, inclusive, se assemelha a uma franquia, com aquisição por parte do cliente de um pacote tecnológico, além de destinação garantida da produção futura. “Nossa operação é baseada na ideia de franquia agrícola. O produtor precisa apenas investir na aquisição das mudas, que oferecemos assistência técnica para todas as fases do pomar. Da escolha das mudas até a colheita. E se o produtor quiser, também garantimos a compra do fruto”, afirma.

Ranking:
México – produção de 145. 500 toneladas
EUA – 126.500 toneladas
África do Sul – 18.200 toneladas
Brasil – 3.500 toneladas
Austrália – 2.000 toneladas

Advertisement
Portal OCorreio
Portal de notícias de Cachoeira do Sul e Região