Cachoeira do Sul começa 2019 com mais desemprego

Por 28 de fevereiro de 2019

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia divulgou na tarde desta quinta-feira (28) o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) relativo ao mês de janeiro de 2019. A reportagem do OCorreio Digital teve acesso aos dados de Cachoeira do Sul. O Município começou o ano com perda de postos de trabalho formais (com carteira assinada). De acordo com o levantamento, foram 384 desligamentos no período e 357 admissões. Ou seja, um saldo negativo de 27 vagas perdidas no primeiro mês de 2019.

A função de “Embalador, a mão” teve o pior desempenho em Cachoeira: foram quatro contratações e 46 demissões. Assim, janeiro fechou com salgo negativo de 42 vagas na atividade. Já “Vendedor de Comércio Varejista” registrou 15 postos extintos em janeiro (23 contratações e 38 desligamentos em janeiro).

Já são mais de 8,6 mil demissões durante período de Governo Ghignatti / Foto: EBC

Na outra ponta, a atividade industrial desacelerou o ritmo de desemprego no Município com a função de “Alimentador de Linha de Produção” registrando 38 contratações e saldo positivo de 29 novos postos de trabalho.

Desde o começo do Governo Municipal comandado pelo prefeito, Sérgio Ghignatti, Cachoeira do Sul registrou 8.643 demissões e 361 postos de trabalho foram extintos.

Já Novo Cabrais (4), Cerro Branco (1) e Paraíso do Sul (8) contabilizaram saldos positivos em geração de emprego no mesmo período.

RS e Brasil

Em janeiro, três regiões apresentaram saldo de emprego positivo – Sul (41.733 postos, +0,59%), Centro-Oeste (22.802 postos, 0,71%) e Sudeste (6.485 postos, +0,03%) – e duas, saldo negativo Norte (-6.428 postos, -0,36%) e Nordeste (-30.279 postos, 0,48%).

Onze das 27 Unidades Federativas (UFs) fecharam o mês com variação positiva no saldo de emprego. Os maiores resultados ocorreram em Santa Catarina, com 20.157 postos (+1,01%); São Paulo, com 14.638 postos (+0,12%); Rio Grande do Sul, com 12.431 postos (+0,49%); Mato Grosso, com 11.524 postos (+1,68%); Paraná, com 9.145 postos (+0,35%); Mato Grosso do Sul, com 6.094 postos (+1,21%); e Goiás, com 3.777 postos (+0,31%).

Os menores saldos de emprego foram verificados no Rio de Janeiro, com -12.253 postos (-0,37%); Paraíba, com -7.845 postos (-1,94%), Pernambuco, com -7.242 postos (-0,58%); Alagoas, com -5.034 postos (-1,43%); Ceará, com -4.982 empregos (-0,43%); Para, com -2.919 empregos (-0,40%); e Piauí, com -1.905 postos (-0,65%).

O emprego formal no Brasil manteve a tendência de crescimento registrada em 2018 e fechou janeiro de 2019 com saldo positivo de 34.313 postos de trabalho. Foi o segundo melhor saldo do mês janeiro desde 2013.