Barro, alagamentos e crateras, o cotidiano da periferia da cidade

Por 4 de agosto de 2022

Na Rua Esperanto, dificuldades para as famílias. Fotos: Cacau Moraes.

Ruas intransitáveis. Um caos. Esta é a situação da periferia de Cachoeira do Sul na manhã desta quinta-feira (4) após a chuva que caiu na cidade desde a madrugada. A Rua Antônio Gomes Pereira, em frente ao Clube de Caça e Pesca, no Bairro Cristo Rei, está totalmente alagada e cheia de buracos. Veículos pesados não passam no local. Não existe escoamento para a água da chuva.

Na mesma região, na Rua Esperanto, a chuvarada abriu crateras para desespero dos moradores. A dona de casa, Maria José Ferreira, disse que não lembra quando a rua foi patrolada. “A rua não tem escoamento”, salientou.

A estrada da Vila Maria, que acessa pelo Bairro Bom Retiro à Volta da Charqueada, também está intransitável. Além disso, uma grande quantidade de lixo está às margens da estrada em meio à mata nativa. Plásticos, galhos de árvores, restos de construção e carcaça de eletrônicos estão por todo o lado.

ATENÇÃO

A Rua Paul Harris, que liga o Bairro Soares à Volta da Charqueada, também tem pontos críticos. Barro, áreas alagadas e lixo fazem parte do cotidiano da rua, que tem sido uma preocupação constante para moradores e também para a Secretaria do Meio Ambiente.

OBRAS

A Secretaria de Obras enfrenta dificuldades para atendimento da periferia. No Bairro Augusta, no Alto do Amorim, por exemplo, ruas foram patroladas há poucos dias, no entanto,  com a chuva desta madrugada, os moradores reclamam dos alagamentos, do barro e da buraqueira.