A voz da marca em novos formatos

Por 1 de abril de 2022

Nas revistas, jornais, outdoors, comerciais de TV ou internet… estamos acostumados a ver o rosto de celebridades, artistas e cantores estrelando campanhas de marcas já conhecidas pelo público. Porém, não é apenas com imagens que os consumidores são atingidos e impactados. Desde os tempos do rádio, a voz vem sendo um dos recursos mais utilizados na hora de oferecer publicidade. É bem verdade que, com o surgimento dos aplicativos nos smartphones, essa realidade mudou um pouquinho de forma. Hoje, em troca de serviços gratuitos, os consumidores passaram a aceitar o recebimento de publicidade personalizada em seus dispositivos – esteja ela inserida nos podcasts, no intervalo entre músicas ou durante o uso de determinados apps.

Com isso, foi possível observar o surgimento de novos formatos de mídia voltados para os aplicativos que acompanham as pessoas nos mais diversos momentos e locais do dia: em seus lares, carros ou celulares. A publicidade nativa, integrada com o conteúdo para não parecer anúncio, cria uma experiência mais fluida para os usuários.

Sendo assim, as marcas têm a possibilidade de utilizar esse recurso para impulsionar seus negócios. A voz virou parte das grandes estratégias de marketing e campanhas de marcas, agências e até mesmo de artistas.

Estar no carro dos consumidores todos os dias, guiando eles por meio da voz, é uma relação e uma experiência tão única que fica marcada na memória dos usuários. Assim, é natural que todo mundo comente. Sempre que há uma mudança, há destaque nas mídias sociais, na imprensa, nos grupos de amigos e na família. Aproveitar a voz dos seus embaixadores para conversar diretamente com o público, durante horas, é mais uma ação de interação, engajamento e conexão com a marca.

Diferentemente dos jingles, os comandos de voz feitos por celebridades/artistas parceiros de marcas, além de oferecer uma experiência fluida com a população, ainda serve como uma publicidade interativa e que tende a ter melhor aceitação por parte dos consumidores.

Qual garoto(a) propaganda você gostaria que te acompanhasse? Já imaginou passar o dia ouvindo comandos de voz da sua celebridade? Esse é o tipo de conteúdo publicitário nativo que as marcas podem oferecer em apps de navegação, meditação, jogos, entre outros. Esses takeovers das marcas geram buzz nas redes, divertem os usuários e humanizam mais as empresas anunciantes para os consumidores.

Gostou? Me segue então no Instagram @kegler.alan

 

Alan Kegler é bacharel em Administração pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, cursando Especialização em Docência para o Ensino Superior pela Universidade Faveni.